O Pároco da paróquia de Cristo Redentor de Bissau disse que os “doentes mentais” invadiram as instituições da República impedindo o desenvolvimento da Guiné-Bissau.

Padre Francelino Nhaga falava, este domingo, durante a humilha da festa da Solenidade de Cristo Rei - Senhor do Universo - que fecha o ano litúrgico, na paróquia Cristo Redentor.

De acordo com o pároco, anteriormente os guineenses acusavam os portugueses de dividir para reinar mais agora as pessoas dividem para piorar a situação. Ele disse que nenhum passo foi dado para desenvolvimento e sobretudo onde não há aulas e saúde devido às sucessíveis greves.

“Estamos num país onde as escolas não funcionam e existem subsídios milionários. Este país está a ser dirigido pelas pessoas com miolo de galinha. (…) Todos juntos temos a responsabilidade de desenvolver este país, e não devemos confirmar num doente mental”.

O Pároco da paróquia de Cristo Redentor acredita que tudo o está acontecer no país um dia terá o seu fim, por isso pede trabalho e diálogo sério respeitando a diferença evitando o uso da força.

“Nenhum guineense ou homem deve colocar na sua mente que falhou em sua missa. (…) O mesmo Deus que contruiu a Suíça, a Alemanha e os Estados Unidos da América é o mesmo Deus que construiu a Guiné-Bissau, por isso, não somos mal benzidos e nem amaldiçoados, apenas devemos trabalhar e aceitar as nossas diferenças.

O padre lembra ainda que o ronco da força e dos bens é a fraqueza flagrante dos seres humanos, um facto que não é aceite por Cristo Jesus.

 

Por: Elisangila Raisa Silva dos Santos / Marcelino Iambi

Escreva à RSM

email 

Entre em contato com a Rádio Sol Mansi.

Continuar

Ajuda RSM

helpContribua para a manutenção dos nossos equipamentos e a formação da nossa equipa.

Ajuda

Questo sito fa uso di cookie per migliorare l’esperienza di navigazione degli utenti e per raccogliere informazioni sull’utilizzo del sito stesso. Leggi di più