Os estudantes da Escola Nacional da Administração(ENA), acusam a direção da escola de ter raptado o presidente da sua Associação.

Estas acusações foram feitas, hoje, à Rádio Sol Mansi, que esteve no local para se apurar a programada vigília que os estudantes realizaram nas primeira horas em frente às instalações desta Escola do Superior do Ensino no país. Vigília esta que acabou por ser dispersada pelas forças policiais que espancou e deteve alguns estudantes.

Arténio Quintino Gomes disse que o presidente da Associação dos alunos tinha sido ameaçado por grupo de pessoas, supostamente percentente à direção da escola, mas desde manhã encontra-se em um paradeiro incerto.

“Durante o encontro, a direção da escola ameaçaa o nosso presidente de associação de em caso do interrompemento do funcionamento das aulas no períodode manhã vai asumir a responsabilidade, no entanto, ontem a noite, o presidente ligou-me que está a ser procurado por homens armados, nesta manhã ligamos para o seu nomero e não está a passar, não sabemos do paradeiro certo”, denuncia Arténio Gomes.

Sobre estas acusações, a RSM falou com o responsavel dos recursos humanos da ENA, Fernando Intchama, que refurta todas estas acusações dos estudantes e por isso desafia os alunos a apresentar as provas que sustentam as suas acusações.

No entanto, ainda sobre os alunos, o porta-voz Arténio adverte que continuarão a luta pela existência de um ensino de qualidade na Guiné-Bissau, porque, segundo disse, não querem fazer parte da geração que vai “acabar” com a existência de um Estado.

Para fazer face a estas situações, os alunos pedem a intervenção do Presidente da República.

“Este ato de impidir os estuantes para relizar a vigília, é simplismente a falta de visão, existe um ditado que diz que para acabar com uma nação não é preciso lançar a bonmba, mas fechae as portas das ecolas”, enfatiza.

“Os nossos governos não estão interessado com o desenvolvimento da Guiné-Bissau, por isso o presidente da República deve engajar para resolver está situação” exorta Arténio Quintino Gomes

Há alguns meses sabe-se que foram suspensas as aulas do período da noite na ENA que foi fortemente criticado e reivindicado pelos estudantes.

Durante a vigilia os estudantes tinhas cartazes onde se podis ler “Queremos ir a escola como os nossoa irmão” e “Dêm-nos os nossos direitos”.

O suposto rapto do presidente da associação dos alunos da ENA já mereceu a reação do Movimento Nacional da Sociedade Civil. Em nota, a organização liderada por Fodé Carambá Sanhá, pediu que as autoridades nacionais judiciais competentes, com destaque para a Polícia Judiciária e o Ministério Público, tomem as devidas deligencias de localizar o estudantye em causa.

E para que haja a responsabilização dos autores de “mais um ato ilegal e criminoso contra cidadãos indefeso e agravado pelo fato de ter acontecido nas horas fora de expediente e sem mandato das autoridades judicias”.

 

Por: Rádio Sol Mansi / Turé da Silva

Escreva à RSM

email 

Entre em contato com a Rádio Sol Mansi.

Continuar

Ajuda RSM

helpContribua para a manutenção dos nossos equipamentos e a formação da nossa equipa.

Ajuda

Questo sito fa uso di cookie per migliorare l’esperienza di navigazione degli utenti e per raccogliere informazioni sull’utilizzo del sito stesso. Leggi di più