O presidente do Sindicato de base de Guiné-Telecom e Guinétel acusa Banco Mundial de estar a inviabilizar as negociações entre o governo e o grupo Publenis para o relançamento destas duas empresas de telecomunicações.

David Mingo que falava a imprensa afirma que o governo e o grupo em causa, já assinaram um memorando que determina a conclusão de assinatura do acordo definitivo num prazo de 45 dias, isto é, até primeira semana de passado mês de Julho.

«A forma como Banco Mundial está a intervir no processo mostra claro que a organização internacional nunca preocupou com o relançamento dessas empresas, persistindo na sua intenção de acabar de vez com elas, como foi manifestada na sua carta datada de 26 de Julho de 2018»

Por outro lado, Mingo anunciou que as dividas destas duas empresas rondam 10 bilhões de francos CFA, tendo sublinhado que os activos da empresa (equipamentos) já estão num estado de total degradação.

Entretanto, apontou dedo acusador aos antigos dirigentes da empresa de estarem a inviabilizar igualmente o relançamento das duas empresas em defesa de interesses desconhecidos.

De referir que o sindicato ameaçou com uma marcha caso o governo não assinar acordo com a empresa publenis.

Por: Nautaran Marcos Có

Podcast

podcast

Escute quando quiser as emissões da Rádio Sol Mansi.

 

 

 

Ouvir

Escreva à RSM

email 

Entre em contato com a Rádio Sol Mansi.

Continuar

Ajuda RSM

helpContribua para a manutenção dos nossos equipamentos e a formação da nossa equipa.

Ajuda

Subscreva notícias

Questo sito fa uso di cookie per migliorare l’esperienza di navigazione degli utenti e per raccogliere informazioni sull’utilizzo del sito stesso. Leggi di più