O advogado Silvestre Alves acusou Botche Candé de traição ao seu parceiro de negócio, um cidadão estrangeiro de nome Mohamed Mazeh por ter renunciado do contrato de parceria sem o consentimento do mesmo.

Silvestre Alves que falava aos jornalistas esta terça-feira afirmou que Botche Candé abdicou da parceria por Mazeh ter mostrado disponível a trabalhar com os herdeiros do terreno onde está a construção em causa……….

«Todo o investimento na obra foi suportado integralmente pelo cidadão estrangeiro Mazeh que fez saber no tribunal que está disposto a trabalhar com quem o tribunal decidir ser o proprietário do terreno. Após a justiça ter concedido razão aos parceiros, Botche Candé decidiu abdicar da parceria justificando que Mazeh estava disposto a trabalhar com seus adversários (herdeiros do terreno)», explica Alves.

O advogado explicou que depois de tudo isso, o cidadão estrangeiro pediu ao Botche que lhe pagasse todos os direitos na parceria mas até hoje não recebeu nenhuma resposta do mesmo embora as obras estão em curso. “ Escrevemos-lhe uma carta a pedir que pagasse todos os direitos e investimentos feitos à obra, mas até agora não recebemos nenhuma resposta. Depois de constatamos a velocidade da obra no terreno, voltamos a telefonar-lhe mas recusou a atender nossa chamada e os oficiais de diligência de justiça foi impedido de entregar as notificações ao Botche Candé”, denunciou.

Por outro lado, apelou o presidente da República a tomar uma medida necessária para remover a obstrução à justiça.

Entretanto, a assessoria de imprensa do Botche Candé prometeu explicar sua versão assim que o mesmo regressar de uma viagem ao exterior.

Por: Nautaran Marcos Có

Escreva à RSM

email 

Entre em contato com a Rádio Sol Mansi.

Continuar

Ajuda RSM

helpContribua para a manutenção dos nossos equipamentos e a formação da nossa equipa.

Ajuda

Subscreva notícias