O Partido da Renovação Social (PRS) promete esta quarta-feira (7 de Fevereiro) reagir as sanções impostas pela CEDEAO aos seus dirigentes e admite não receber qualquer notificação de sanções.

Em conferência de imprensa realizada na sua sede em Bissau, o porta-voz dos renovadores, Victor Pereira, disse que os seus dirigentes estão serenos e tranquilos.

Segundo, o Porta-voz, PRS aguarda a notificações das sanções avançadas pela CEDEAO aos seus dirigentes e militantes para posteriormente pronunciar.

“ Estão (os dirigentes do PRS sancionados) serenos e tranquilos sendo certo a propalada sanções e esperamos a todo o momento que haja notificação `como direito e normal`. Há situações que não conseguimos entender porque há magistrados na lista coisa que não passa pela cabeça de ninguém como também situação de pessoas que nunca subscrevem o acordo de Conacri”, questiona.

“Sobre esse aspecto o PRS reserva o seu direito de pronunciar oportunamente, como digo, ali há situações que nos revelam a partida de alguma injustiça em que PRS é um autor passivo”, sublinha porta-voz dos renovadores.

O Porta-voz do segundo maior partido político guineense voltou a dizer que a participação do PRS no governo liderado pelo Artur Silva careceria de uma aprovação prévia da comissão politica.

“Ficou claro de que assunto como a integração do PRS em qualquer governo careceria de uma anuência prévia da nossa comissão política nacional. A nossa formação política só participará num próximo governo no estrito cumprimento dos compromissos firmados no Acordo de Conacri, como um dos seus subscritores”, afirma Victor Pereira.

De referir que dirigentes do PRS fazem parte das personalidades políticas sancionados pela CEDEAO por dificultarem a implementação do acordo de Conacri.

Por: Marcelino Iambi

Escreva à RSM

email 

Entre em contato com a Rádio Sol Mansi.

Continuar

Ajuda RSM

helpContribua para a manutenção dos nossos equipamentos e a formação da nossa equipa.

Ajuda

Subscreva notícias