Museu Etnográfico Nacional completa esta sexta-feira 30 anos da sua existência. A comemoração foi marcada com visita à exposição pelo ministro da cultura e o embaixador de Portugal.

Na cerimónia da comemoração, o ministro Tomas barbosa afirmou que o museu é muito rico em termos de cultura étnica

«Não sei quem disse que o museu é pobre. O museu é rico porque as riquezas que estão aí custam muito mais que o salário do Ronaldo. Então significa que estas riquezas podem desparecer e não se pode renovar de qualquer maneira o que significa que devemos preservar tudo aquilo que faz parte de um processo que constitui a história das nossas etnias», lembra o ministro.

Entretanto, o embaixador de Portugal no país António Leão Rocha garantiu que seu país estará associado a renovação do museu nacional, para depois realçar que “ não conhecia o museu e infelizmente quase no final da minha missão como embaixador é que descobri esse magnifico museu e inclusivamente esta magnifica peça de arquitectura de Bissau, que é a direcção geral da cultura, e de facto gostei muito”, diz.

De referir que a exposição apresentada ao público revela uma série de imagens capturadas no início da actividade do Museu (1986-1990), recuperadas a partir de provas de contacto. Nas imagens observa-se a arte dos costeiros, dos ferreiros, dos tecelões, dos oleiros, os rituais e cerimonias das diferentes etnias assim como os primeiros registos do museu e da sua actividade.

Por: Nautaran Marcos Có

Podcast

podcast

Escute quando quiser as emissões da Rádio Sol Mansi.

 

 

 

Ouvir

Escreva à RSM

email 

Entre em contato com a Rádio Sol Mansi.

Continuar

Ajuda RSM

helpContribua para a manutenção dos nossos equipamentos e a formação da nossa equipa.

Ajuda

Questo sito fa uso di cookie per migliorare l’esperienza di navigazione degli utenti e per raccogliere informazioni sull’utilizzo del sito stesso. Leggi di più