A situação do primeiro-vice-presidente da Assembleia Nacional Popular (ANP) voltou a ser tónica de debate esta terça-feira (7) durante o período antes de ordem-do-dia, da quarta sessão ordenaria desta Xº legislatura.

O debate centra a volta da vacatura deixada na mesa da ANP pelo primeiro vice-presidente Nuno Nabian que exerce agora o cargo do primeiro-ministro.

A questão é levantada pelo líder e vice líder da bancada parlamentar do PAIGC Califa Seide e Wasna Papai Danfa que exigem o retorno de Armando Mango na mesa como primeiro vice-presidente eleito na sessão do 28 de Fevereiro.

“Há vacatura sim e deve ser preenchida foi isso que fizemos, o primeiro vice-presidente da Assembleia Nacional Popular foi eleito e deve ser cumprida. Não podemos estar em jogo de guardar lugar para alguém. Nuno Gomes Nabian de forma que saiu para primeiro-ministro, o seu lugar foi preenchido mais nada”, destacaram Califa Seide e Wasna Papai Danfa.

O facto foi contrariado pelo líder da bancada parlamentar do MADEM G-15 Abdu Mané que considerou que a questão não tem perna para andar ou seja, o acto que elegeu o deputado Armando Mango para o primeiro vice-presidente é nulo.

“Tristemente, estamos a assistir mas uma vez tentativa de distorcer e de manipular opinião pública nacional e internacional por isso digo-vos que esta situação não tem a perna para andar se é que era eleito o por que razão a questão de eleição de vice-presidente foi agendada na reunião da comissão permanente? o facto demostra que o acto é nulo”, sustentou líder da bancada parlamentar do MADEM.

Em reposta a questão levanta, o presidente da Assembleia Nacional Popular, Cipriano Cassama disse que a sua decisão é legal por isso, advertiu que quem acha que é contra lei que o leva ao Supremo Tribunal de Justiça.

“Eu, Cipriano Cassama presidente da Assembleia Nacional Popular estou no meu segundo mandato no cargo, as pessoas possam fazer interpretações que quiserem mas digo-vos, a minha interpretação é legal e consta do artigo 26 e se alguém tem o problema quanto esta situação, que procure o supremo Tribunal de justiça”, justificou líder do parlamento.

Na altura, Armando Mango tinha assumido o cargo do primeiro vice-presidente da assembleia nacional popular antes de o líder do parlamento ser investido como presidente da República interino no passado 28 de Fevereiro de 2020.

Durante a sessão desta terça-feira os 100 deputados presentes iniciaram o debate da situação politicão actual do país requerida pela bancada parlamentar do Partido Africano da Independência da Guiné e Cabo-verde (PAIGC).

Por: Marcelino Iambi

Podcast

podcast

Escute quando quiser as emissões da Rádio Sol Mansi.

 

 

 

Ouvir

Escreva à RSM

email 

Entre em contato com a Rádio Sol Mansi.

Continuar

Ajuda RSM

helpContribua para a manutenção dos nossos equipamentos e a formação da nossa equipa.

Ajuda

Questo sito fa uso di cookie per migliorare l’esperienza di navigazione degli utenti e per raccogliere informazioni sull’utilizzo del sito stesso. Leggi di più