Os três sindicatos dos professores ameaçam paralisar o sector educativo, a partir de próxima semana, se o governo não cumprir com memorando de entendimento assinado há 1 mês.

O aviso é feito esta quinta-feira (28/11), por Queba Seide, um dos membros da comissão da greve dos três sindicatos, nomeadamente, SINAPROF, SINDEPROF e SIESE, durante uma entrevista à Rádio Sol Mansi.

“ Reafirmamos a nossa determinação em defender a classe docente e exigir ao governo para cumprir com sua obrigação com os professores em termos de pagamentos dos atrasados dos professores novos ingressos e contratados e ainda pedimos para que o governo implemente o estatuto de carreira docente sem tocar na carga horária dos professores” avisa este sindicalista.

Queba Seide explicou ainda que com pedido dos líderes religiosos, deram o benefício de dúvida de 30 dias ao governo que, no entanto, até agora não cumpriu nenhum dos pontos rubricados.

“ Líderes religiosos têm conhecimento da situação dos professores e, depois do fim desse prazo, não daremos mais nenhum benefício de dúvida ao governo, por isso, vamos esclarecer a opinião pública nacional e internacional de que estamos aqui para defender o interesse legítimo da classe” enalteceu.

No pré-aviso da greve que teve a mediação dos chefes religiosos, os sindicatos exigem, entre outros, o pagamento dos salários atrasados aos professores novos ingressos e a implementação da carreira docente.

Por: Anézia Tavares Gomes

Podcast

podcast

Escute quando quiser as emissões da Rádio Sol Mansi.

 

 

 

Ouvir

Escreva à RSM

email 

Entre em contato com a Rádio Sol Mansi.

Continuar

Ajuda RSM

helpContribua para a manutenção dos nossos equipamentos e a formação da nossa equipa.

Ajuda

Questo sito fa uso di cookie per migliorare l’esperienza di navigazione degli utenti e per raccogliere informazioni sull’utilizzo del sito stesso. Leggi di più