14
Jan
2020

 A Secretária-geral adjunta para Assuntos Políticos da Organização das Nações Unidas diz estar satisfeita pela forma “pacífica” como decorreram as eleições presidenciais “embora haja alguma incerteza no processo”.

Rosemary Dicarlo que falava esta hoje (14/1) após o encontro com o presidente da República cessante felicitou igualmente a forma com está-se a resolver o contencioso eleitoral.

“ Estamos muito contentes com a forma pacífica como decorreram as eleições embora haja alguma incerteza e também estamos satisfeitos de ver que as partes estão a tentar resolver disputas de forma legal através de meios legais”, considerou.

Sobre renovação do mandato do Escritório Integrado das Nações Unidas para a Consolidação da Paz na Guiné-Bissau a diplomata sublinhou que essa decisão como de levantamento das sanções impostas a algumas figuras guineenses cabe ao conselho de segurança.

“ No mês de Fevereiro, o Conselho de Segurança vai confirmar se vai prolongar ou não o mandato da UNIOGBIS na Guiné-Bissau” afirma para depois adiantar que “ as sanções também é uma decisão que cabe ao Conselho de Segurança e temos a certeza que vai analisar a situação no terreno e tomar as decisões sobre se é possível levantar ou não as sanções impostas a algumas figuras guineenses”, sublinhou.

Referiu no entanto, que a ONU "não impõe sanções de forma gratuita", recordando que isso aconteceu em 2012, mas devido "a um golpe de Estado após as eleições".

A Uniogbis está no país desde 1999 e o actual mandato termina em dezembro de 2020, estando previsto que o Conselho de Segurança reavalie a situação em fevereiro próximo.

Por: Nautaran Marcos Có

Questo sito fa uso di cookie per migliorare l’esperienza di navigazione degli utenti e per raccogliere informazioni sull’utilizzo del sito stesso. Leggi di più