O Partido da Renovação Social (PRS) considera de atentatória à soberania e a integridade territorial a decisão da comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO) em reforçar a sua força militar no país.

Consideração tornada pública, numa conferência de imprensa, esta quinta-feira, na voz de um dos dirigentes dos renovadores, Sola N’Quilim Nabidjita, que afirma ainda não existir memória de uma atuação “tão bruta”, como esta, por parte da CEDEAO em nenhum dos 15 estados membros.

Para o PRS é “ cínica e de tamanha humilhação semelhante a esta, o que a CEDEAO, pretende pela primeira vez, implementar na Guiné-Bissau” e espera para ver até que ponto esta “xenófoba” a resolução da CEDEAO vai ser implementada no país.

Ainda os renovadores afirmam que “para além de estranho e arrepiante é, no mínimo a atentatória à soberania e a integridade da Guiné-Bissau”, a resolução da cimeira dos chefes de estado da CEDEAO”.

O Renovadores preocupado com um dos pontos da resolução da cimeira dos chefes de estado da CEDEAO, em reforçar a sua força militar no país, avisa que, “não permitira que soberania nacional seja beliscada e muito menos que o povo da Guiné-Bissau volte a ser subjugado” e afirmam chegar a hora de dizer “basta a tentativa de transformar a pátria de Amílcar Cabral” em o que consideram de “ palco de disputas antagónicas”.

 

Por: Anézia Tavares Gomes

Podcast

podcast

Escute quando quiser as emissões da Rádio Sol Mansi.

 

 

 

Ouvir

Escreva à RSM

email 

Entre em contato com a Rádio Sol Mansi.

Continuar

Ajuda RSM

helpContribua para a manutenção dos nossos equipamentos e a formação da nossa equipa.

Ajuda

Questo sito fa uso di cookie per migliorare l’esperienza di navigazione degli utenti e per raccogliere informazioni sull’utilizzo del sito stesso. Leggi di più