Lideres de diferentes confissões religiosas do país juntaram-se, ontem, (27 de Abril) no estádio Lino Correia, para oração pela paz na Guiné Bissau.

O evento juntou organizações das comunidades islâmicas, católicas, evangélicas sob o lema “No djunta nó raça pá Paz na Guiné”.

No acto houve um momento de espiritualidade para cada confissão religiosa e uma meditação conjunta.

No acto que juntou diferentes confissões religiosas, Dom Pedro Carlos Zili da igreja católica afirma que este encontro de oração revela duas coisas fundamentais: uma que “nós queremos profundamente que a paz antes de ser uma conquista humana é um dom de DEUS. É por isso que pedimos a DEUS o dom da paz. Para nós cristãos, o jesus Cristo é a nossa paz por ter abatido o murro que dividia os dois povos tornando-os único povo de Deus”.

«A segunda é o exemplo bonito que as religiões dão da Guiné-Bissau de colaboração, dialogo, e de gostar de estar junto e de louvar sempre o mesmo DEUS», conta.

Entretanto, Aladje Sirajo Bari em representação da comunidade islâmica disse que “ na verdade a paz está ameaçada no país. Dizem que há estabilidade mas nos corações das pessoas e nas suas actuações está a ser verificado o contrário. Para isso queremos ver a paz em todo os guineenses. Precisamos cultiva-la antes de acontecimentos indesejáveis”, diz.

Para o pastor Domingos da igreja evangélica, sublinhou que não há nada impossível para DEUS, razão pela qual, “ decidimos colocar a nossa petição junto a ELE (Deus) para sentir que nossos corações estão realmente virado a paz”.

O encontro inter-religioso “Nó djunta nó raça pá Paz na Guiné-Bissau” é organizado pela União Europeia em colaboração com as entidades religiosas do país.

Por: Nautaran Marcos Có

Escreva à RSM

email 

Entre em contato com a Rádio Sol Mansi.

Continuar

Ajuda RSM

helpContribua para a manutenção dos nossos equipamentos e a formação da nossa equipa.

Ajuda

Subscreva notícias