17
Jan
2020

Iniciou esta sexta-feira (17/1) XIV encontro dos Bispos dos Países Lusófonos sob lema “O Dialogo Inter-religioso na Construção da Paz e do Desenvolvimento nos Países Lusófonos”.

Na abertura oficial dos trabalhos, o bispo da Diocese de Bissau, Dom José Camnate Nabissign diz que este encontro constitui uma oportunidade para o povo da Guiné-Bissau reafirmar o seu abraço as nobres ideias da fé em Deus e da fraternidade humana.

“A presença de tão ilustres representantes de igrejas irmãs, aviva em nós a consciência de que não estamos entregues apenas a nossa própria sorte, neste mundo que teima em descurar os inúmeros flagelos que atentam contra a dignidade do ser humano e a preservação da natureza”, afirmou.

“A realização do XIV encontros dos Bispos lusófonos na Guiné-Bissau, constitui uma oportunidade para este povo, no seu todo, reafirmar o seu abraço aos nobres ideias da fé em Deus, da fraternidade humana, e revitalizar os seculares laços culturais que unem os nossos povos e países,” assegurou Dom Camnate Nabissign.

Por seu turno a Ministra da Administração Territorial Maria Odete Semedo em representação do governo afirmou que este encontro acontece no país numa altura em que mundo aclama por uma relação inter-religiosa ou seja ecuménica positiva.

“Este encontro dos bispos dos países lusófonos que já vai na sua décima quarta edição acontece num momento em que mais de que nunca, o mundo clama por uma relação inter-religiosa ou seja ecuménica positiva para a construção e consolidação da cultura da paz”, realçou a ministra da Administração Territorial.

O patriarca de Lisboa, Dom Manuel Clemente, aproveitou ocasião, para considerar este encontro dos bispos de produtivo num caminho conjunto intercultural criadora de futuro.

“Muito produtivo esse nosso caminho conjunto em muitas coisas depois directa ou indirectamente se vão reflectindo na vida das igrejas locais vividas em três continentes, vai mostrando como essa convivência mais propriamente intercultural de que multicultural”, observou o Patriarca de Lisboa.

Em princípio, devia chegar a Bissau 11 bispos dos países lusófonos entre os quais Cabo-Verde, Moçambique, Brasil, Timor-Leste, São Tomé e Príncipe, Angola e Portugal.

Ausentes são os bispos de Moçambique, Cabo Verde e Timor-Leste por "razões alheias à vontade dos mesmos", explicou o bispo de Bissau.

Segundo o programa do encontro prossegue hoje ao final do dia, uma conferência pública dedicada ao diálogo inter-religioso, que vai contar com a presença dos representantes da comunidade muçulmana, da igreja evangélica e da embaixadora da União Europeia em Bissau.

Por: Marcelino Iambi

Questo sito fa uso di cookie per migliorare l’esperienza di navigazione degli utenti e per raccogliere informazioni sull’utilizzo del sito stesso. Leggi di più