26
Dec
2018

O Bispo Auxiliar da Diocese de Bissau, Dom Lampra Cá, disse que no Natal todos são convidados a uma colaboração séria com Deus para que a dignidade de cada Homem seja respeitada e defendida

Dom Lampra falava, esta terça-feira (25 de Dezembro), na sua homilia na missa de Natal, na sé Catedral de Bissau, que juntou dezenas de fiéis que celebram o nascimento de Jesus.

O pastor da Igreja Católica lembra ainda que Jesus Cristo é uma expressão suprema de Deus.

“Se aceitarmos as duas naturezas em Jesus (divina e humana) não devemos não aceitar por uma questão de coerência que Jesus seja realmente a expressão mais alta e mais autêntica de Deus e do Homem merecendo deste modo o título do único e definitivo mediador entre Deus e Homens assim sendo é digno de fé de tudo aquilo que Jesus nos ensina sobre Deus e Homens. Porque só a Ele e mais ninguém foi dito. Todo o poder Lhe foi dado no céu e na terra”

Dom Lampra Cá lembra ainda que a vontade de Deus deve ser cumprida e não é negociável pela anunciação da boa nova de salvação para que as pessoas tenham uma vida digna na terra para poder participar na felicidade eterna.

“Deus criou o Homem para viver bem na Terra. Aqueles que colaboram com Deus (os profetas) são reconhecidamente elogiados por terem anunciado segundo a sua vontade a paz e a salvação”.

Lampra Cá adverte ainda que no Natal todos são convidados fazer com que as vidas sejam sempre acompanhadas de uma fé verdadeira para que o testemunho de vida seja convincente.

“Jesus Deus filho, médico da humanidade. O Verbo de Deus fez-se carne e habitou entre nós”

Entretanto, na sua mensagem de Natal, o Papa Francisco pediu para que em África na onde milhões de pessoas refugiadas ou deslocadas precisam de assistência humanitária e segurança alimentar, para que o Deus Menino, Rei da Paz, faça calar as armas e surgir um novo dia de fraternidade em todo o Continente, abençoando os esforços de quantos trabalham para favorecer percursos de reconciliação a nível político e social.

Por fim, Papa Francisco dirigiu seu pensamento às inúmeras pessoas que não têm voz e sofrem por causa do nome do Senhor Jesus.

Papa Francisco disse que votos de Fraternidade vão às pessoas de todas as nações e culturas; às de ideias diferentes, mas capazes de se respeitar e ouvir umas às outras; e às pessoas das diferentes religiões.

Por: Elisangila Raisa Silva dos Santos

Questo sito fa uso di cookie per migliorare l’esperienza di navigazione degli utenti e per raccogliere informazioni sull’utilizzo del sito stesso. Leggi di più