O Líder da União Nacional dos Trabalhadores da Guiné (UNTG) - maior central sindical do país - solicita o chefe de Estado, Umaro Sissoco Embaló, a orientar o executivo a cumprir com as leis da República evitando as nomeações desenfreadas na função pública.

Ouvido hoje (20), pela Rádio Sol Mansi (RSM), dias depois do presidente da República anunciar ter proposto ao governo a redução de dias de feriados na Guiné-Bissau, Júlio Mendonça disse congratular-se com a posição do chefe de Estado, mas afirma que o presidente deve preocupar primeiro com organizar o Estado.

“Não estou contra mas quero que o presidente da República saiba se o salário das pessoas que quer sobrecarregar é suficiente para viver durante uma semana. Se a lei e o direito laboral for respeitada, então o trabalhador não terá problema em cumprir a lei”, disse Júlio Mendonça que exige a explicação pela forma de nomeação de pessoas “sem preparação” e sem concurso público do aparelho de Estado.

Na terça-feira (17 de Novembro), presidente da República, Umaro Sissoco Embalo, após o encontro com a esposa e filhos do falecido presidente da República, João Bernardo “Nino” Vieira, diz que o país falhou muito e não pode continuar a falhar.

“Já falei com o governo porque existem muitas férias que precisamos trabalhar. Aqui na Guiné-Bissau se o feriado coincidir com o dia domingo, então não haverá trabalho na segunda-feira. Isso vai acabar”.

A justiçarão da decisão é que a função pública da Guiné-Bissau perde muita receita com os feriados. Muitos analistas apontam que as autoridades nacionais devem controlar também o funcionamento no aparelho público.

 

Por: Braima Sigá

Escreva à RSM

email 

Entre em contato com a Rádio Sol Mansi.

Continuar

Ajuda RSM

helpContribua para a manutenção dos nossos equipamentos e a formação da nossa equipa.

Ajuda

Questo sito fa uso di cookie per migliorare l’esperienza di navigazione degli utenti e per raccogliere informazioni sull’utilizzo del sito stesso. Leggi di più