O antigo primeiro-ministro vencedor das eleições primárias do Movimento para a Alternância Democratica (Madem-G15), prometeu trabalhar com o actual governo e a Assembleia Nacional Popular caso for eleito presidente da República nas presidenciais de 24 de Novembro.

Umaro Sissoco Embaló que falava só a Rádio sol Mansi após vencer as primárias do partido diz igualmente que vai apoiar na modernização das forças de defesa e segurança assim que for eleito

“ Tenho a noção e a capacidade de liderança de consenso e eu como presidente da República, não vou ter problemas com o governo e não vou dissolver o parlamentar, haverá uma estreita colaboração. Como presidente (da República), terei as minhas prerrogativas constitucionais e tenho a consciência que o actual governo é emanado de uma maioria parlamentar, estão, tenho só que ajudar principalmente na modernização das forças de defesa e segurança que já mostraram ser republicanos por não terem feito golpe de estado muito embora não lhes faltava ocasião ou aliciamento para tal”, disse o candidato às presidenciais.

Sissoco Embalo disse ter a certeza que a maioria dos militantes do PAIGC vai apoiá-lo nesta corrida, para depois afirmar que, quanto ao candidato José Mário Vaz, o povo fará o julgamento de suas acções durante cinco anos como presidente da República cessante. “ Toda a gente viu o desempenho do presidente cessante (José Mário Vaz) e cabe ao povo avaliá-lo pelo seu desempenho porque as pessoas (dirigentes) já cometeram muitos erros a este país”.

Entretanto, mostrou-se confiante na vitória nesta eleições tendo em conta os resultados eleitorais e a posição que seu partido obteve nas legislativas de 10 de março.

“ Um grande partido como Movimento para a Alternância Democrática – Madem-G15 (segundo partido mais votado) não podia deixar de perfilar nestas presidenciais, razão pela qual, decidi candidatar-me e fazendo cálculos, votos de Madem nas legislativas e somados aos votos dos eleitores com incerteza, vai permitir-me chegar a segunda volta e de lá, o candidato apoiado pelo Madem, será vencedor das eleições presidenciais. A Guiné-Bissau precisa de um presidente de República da nova geração e não dos de 80 anos e hoje o mundo mudou com o desaparecimento dos partidos dinossauros, nomeadamente o PAIGC que está em vias de extinção”, sublinhou.

O candidato do MADEM foi eleito nas primárias com 297 votos a favor, 107 votos contra e 27 abstenções no universo de 428 votantes, durante a reunião extraordinária do Conselho Nacional.

De acordo com fonte ligada à Comissão, de entre os três nomes pré-seleccionados, o Umaro Sissoco, o Presidente José Mário Vaz e o Constitucionalista Carlos Vamain, os dois últimos acabaram por ser eliminados devido às suas ausências da sala.

Por: Nautaran Marcos Có

Podcast

podcast

Escute quando quiser as emissões da Rádio Sol Mansi.

 

 

 

Ouvir

Escreva à RSM

email 

Entre em contato com a Rádio Sol Mansi.

Continuar

Ajuda RSM

helpContribua para a manutenção dos nossos equipamentos e a formação da nossa equipa.

Ajuda

Questo sito fa uso di cookie per migliorare l’esperienza di navigazione degli utenti e per raccogliere informazioni sull’utilizzo del sito stesso. Leggi di più