Os sindicatos do sector de ensino sob capa de Sindicato Nacional dos Professores prometeu paralisar o sector durante 60 dias a partir do dia 6 de Janeiro para reivindicar entre outros pontos, a redução dos seus salários do mês de Novembro.

Bunghoma Duarte Sanha que falava só a Rádio Sol Mansi diz que se o governo continuar a tratar o sindicato como inimigo, não haverá paz no sector do ensino.

“ Pelo menos se houvesse cumprimento de uma parte do memorando do entendimento, possamos compreender atendendo as dificuldades que o país atravessa, mas não foi o caso. Por cima disso, sofremos corte no nosso salario sob justificação da carga horária. Portanto, achamos por bem que, se governo continuar com este comportamento, não haverá paz no sector de ensino”, diz para depois garantir que vão paralisar o sector durante 60 dias a contar a partir do dia seis de Janeiro, próxima segunda-feira.

Por outro lado, sublinhou que o ministro da educação não conhece os documentos do seu pelouro, isso numa clara alusão a distribuição do subsidio de isolamento que segundo ministério de educação, região de Biombo na será contemplado. “ Região de Biombo deve ter o subsídio de isolamento com a excepção dos seus bairros periféricos que são Plack1, Áfia, Quelelé e Plack 2. Mas os sectores de Quinhamel, Bijimita e Ondame devem ser comtemplados na zona de isolamento”.

De referir que a União Nacional dos Trabalhadores da Guiné e confederação dos sindicatos independentes vão iniciar igualmente na próxima terça-feira uma paralisação de 3 dias na função pública.

Por: Nautaran Marcos Có

Podcast

podcast

Escute quando quiser as emissões da Rádio Sol Mansi.

 

 

 

Ouvir

Escreva à RSM

email 

Entre em contato com a Rádio Sol Mansi.

Continuar

Ajuda RSM

helpContribua para a manutenção dos nossos equipamentos e a formação da nossa equipa.

Ajuda

Questo sito fa uso di cookie per migliorare l’esperienza di navigazione degli utenti e per raccogliere informazioni sull’utilizzo del sito stesso. Leggi di più