O sequestro no princípio desta tarde, do líder da bancada parlamentar da Assembleia do Povo Unido - Partido Democrático da Guiné-Bissau (APU-PDGB), provocou revolta dos populares de Safim, que queimaram pneus e promoveram manifestações nas ruas

Esta tarde era visível o confronto na estrada que liga Aeroporto à Safim, o confronto entre os revoltantes do sequestro de Marciano Indi e as forças de defesa e segurança.

No local havia forte dispositivo da Polícia Militar (PM), Guarda Nacional (GN) e a Polícia da Intervenção Rápida (PIR), para desmantelar o cordão criado pelos revoltantes na estrada e que incendiaram os pneus, vandalizaram algumas viatura e quebraram garrafa, lançaram pedras e paus no local.

E até neste momento desconhece-se os números dos feridos assim como das viaturas que os seus vidros foram partidos devido a revolta. A RSM não sabe se houve detidos.

Nas primeiras declarações proferida por Marciano Indi, em exclusiva à Rádio Sol Mansi (RSM), na sua residência privada em Safim, após ter sido libertado do sequestro que ainda continua desconhecido a razão e quais são os actores, disse que não quer adiantar nada ainda sobre o seu sequestro, aguardando o momento oportuno para pronunciar.

“Não quero adiantar nada e por orientação do presidente do parlamento não quero adiantar nada. Espero que haverá possibilidade para eu explicar o que passou”.

Questionado pela RSM se sente-se seguro em sua residência, Marciano apenas limitou-se em assegurar que está com Deus e apesar da insistência da nossa reportagem escusa-se a comentar se o seu sequestro tem a fazer com questões partidárias.

Na sua residência estava também o presidente do parlamento, Cipriano Cassama, que na curta declaração garantiu, na conversa com a RSM, que o deputado já está bem e seguro.

“Marciano Indi está muito seguro e está em sua casa”, garante Cassamá.

Na sua residência havia uma moldura humana, e Marciano Indi aproveitou para saudar a solidarização através de um megafone e garantiu que tudo vai ultrapassar.

“Continuarei a ser o vosso deputado e espero que este incidente vai ultrapassar”, enfatiza.

A RSM sabe que o líder da bancada parlamentar da APU PDGB, Marciano Indi, foi raptado quando seguia para Bissau e com ele estava na viatura o seu condutor que segundo informações apuradas pela RSM ficou gravemente ferido pelos supostos sequestradores.

Sabe-se que o condutor encontra-se neste momento numa das unidades hospitalares recebendo cuidados médicos.

Na mesma viatura estava um cidadão da nacionalidade Chinesa que neste momento se encontra na embaixada do seu país, em Bissau.

Entretanto, a RSM também contactou a Polícia Judiciária para saber das diligências a serem tomadas. Um dos responsáveis disse a nossa reportagem que a denúncia deu entrada e a PJ já está a tomar diligências, embora garante não poder avançar com mais informações.

Marciano Indi é um dos deputados que tem sido o rosto dos 4 deputados que continua a ser fiel ao acordo de incidência parlamentar, entre 4 formações políticas com assento parlamentar (PAIGC, PND, União para a Mudança e APU PDGB).

APU tem 5 deputados que constitui a bancada parlamentar, Paulo Bodjam, Umaro Conté, Marciano Indi, Armando Mango e Nuno Nabiam, actual líder do governo em exercício no país.

 

Por: Elisangila Raisa Silva dos Santos / Braima Sigá

Imagem: Braima Sigá

Podcast

podcast

Escute quando quiser as emissões da Rádio Sol Mansi.

 

 

 

Ouvir

Escreva à RSM

email 

Entre em contato com a Rádio Sol Mansi.

Continuar

Ajuda RSM

helpContribua para a manutenção dos nossos equipamentos e a formação da nossa equipa.

Ajuda

Questo sito fa uso di cookie per migliorare l’esperienza di navigazione degli utenti e per raccogliere informazioni sull’utilizzo del sito stesso. Leggi di più