O Partido da Renovação Social (PRS) considerou a suspensão dos governadores regionais e algumas nomeações de violação de acordos firmados entre dois maiores partidos do país (PAIGC e PRS).

A posição dos Renovadores foi transmitida esta segunda-feira (14 de Maio) pelo vice-presidente do PRS Certório Biote, a saída da audiência com o chefe do estado José Mário Vaz.

Biote acusa a ministra de Administração Territorial de ser principal responsável de violação dos acordos firmados entre as duas forças políticas.

“Para qualquer cidadão comum que acompanha a situação política sobretudo aos jornalistas é uma violação, uma vez que existe acordo antes da revisão deste acordo. Fizemos a diligência em todo o sentindo porque nós e o PAIGC temos um acordo” afirma o vice-presidente do PRS.

Por outro, Biote não escondeu a sua insatisfação pela pouca intervenção do primeiro-ministro no que diz respeito a polémica a volta de suspensão dos Governadores regionais, “e o assunto já foi comunicado a CEDEAO como mediador da crise política do país”.

“Sentimos a falta de acompanhamento deste processo por parte do Primeiro-ministro em que devia chamar a ministra da Administração Territorial no sentido de revogar as suspensões e consequentes nomeações realizadas (governador de Biombo e de Gabu como também o presidente e o Adjunto da Câmara Municipal de Bissau), para nós, não é forma salutar, não é forma administrativa para resolução da crise política”, lamenta.

Por outro lado, assegurou que o assunto já é do conhecimento do Primeiro-ministro, da CEDEAO e “viemos encontrar com o presidente da República no sentido de ajudar a resolver a situação porque segundo os nossos adversários, o PRS é que criou problema ao país”, sublinhou Certório Biote.

Perante o cenário político vigente no país, Certório Biote defende a realização das eleições na data prevista para legitimar novas autoridades governativas do país.

«Temos um governo formado com o objectivo único e exclusivo de realizar as eleições no próximo dia 18 de Novembro como está previsto e decretado pelo presidente da República. É neste quadro que viemos recordar o presidente para mobilizar esforço, apoiar o governo e Primeiro-ministro para que haja condição propícios e urgente para a realização de eleição ou seja para o PRS é indiscutível adiamento do escortino que permitirá os guineenses ter novas autoridades governativas legítimas», defendeu o dirigente dos renovadores.

Recorde-se que a ministra da Administração Territorial, Ester Fernandes, suspendeu todos os governadores regionais “até novas instruções”, ficando a gestão das regiões, transitoriamente, sob a responsabilidade dos secretários regionais.

 O Governo da Guiné-Bissau exonerou hoje,14 de Maio depois de uma reunião extraordinária do Conselho de Ministros, os governadores regionais e os administradores setoriais.

Segundo o comunicado do Conselho de Ministros, divulgado à imprensa, o primeiro-ministro guineense decidiu convocar a reunião extraordinária para proceder à "reposição da legalidade nos governos regionais e locais" para o normal funcionamento das instituições.

O Governo decidiu "dar por finda a comissão de serviço dos governadores regionais" e a "comissão de serviço dos administradores setoriais".

O Conselho de Ministros decidiu também indigitar interinamente os secretários regionais para assumirem as funções de governadores regionais e os secretários setoriais para as funções de administradores setoriais.

Durante a reunião, o Conselho de Ministros nomeou também Filomena Maria Vaz Mendes Lopes diretora-geral da Polícia Judiciária.                                                                                                 

Por: Marcelino Iambi

Escreva à RSM

email 

Entre em contato com a Rádio Sol Mansi.

Continuar

Ajuda RSM

helpContribua para a manutenção dos nossos equipamentos e a formação da nossa equipa.

Ajuda

Subscreva notícias

Questo sito fa uso di cookie per migliorare l’esperienza di navigazione degli utenti e per raccogliere informazioni sull’utilizzo del sito stesso. Leggi di più