Depois dos atentados terroristas ocorridos na noite de sexta-feira, em Paris, vários líderes mundiais reagiram em solidariedade para com o povo francês.

Na Guiné-Bissau, o presidente José Mário Vaz reuniu-se nesta terça-feira com o embaixador de França na Guiné-Bissau, Pierre Vallery, para apresentar as condolências.

Após o encontro, José Mário Vaz afirmou que os acontecimentos de Paris não constituem tristeza só para a Guiné-Bissau, mas para todo o mundo, motivo pelo qual deslocou-se à embaixada de França para "dar força ao senhor embaixador".

"Nós estamos aqui para dar força ao senhor embaixador e ao presidente François Hollande e pedimos a Deus que dê força à França nesta luta que não é só deles".

José Mário Vaz disse que depois dos acontecimentos em Paris, a Guiné-Bissau "reforçou a segurança na embaixada de França, assim como nas outras embaixadas" como forma de "impedir qualquer tentativa" de ataque.

Em comunicado, também o primeiro-ministro Carlos Correia expressou "profunda mágoa e consternação" pelos "trágicos acontecimentos que se abateram sobre a França". No mesmo documento, o líder do executivo manifestou solidariedade para com "o Povo, o Governo e Nação Francesas".

Escreva à RSM

email 

Entre em contato com a Rádio Sol Mansi.

Continuar

Ajuda RSM

helpContribua para a manutenção dos nossos equipamentos e a formação da nossa equipa.

Ajuda

Subscreva notícias