A representante do ministério da Mulher e Solidariedade Social afirmou hoje (20) que os estados africanos não envolvem as mulheres nos órgãos da decisão.

Ângela Évora falava na cerimónia de abertura de conferência regional sobre participação das mulheres na gestão de paz e segurança na sub-região, sob o lema: fortalecer o envolvimento das mulheres para a consolidação da paz em Casamança e a estabilidade na sub-região organizado pela Plataforma Política das Mulheres (PPM).

“ Os estados na África não envolvem as mulheres nos órgãos de decisão, no entanto, suas participações nesses órgãos, é muito importante porque são moderadoras e promovem a igualdade do género o que tem um impacto positivo na estabilidade e desenvolvimento do país”, diz acrescentando que “ é necessário que as mulheres sejam actores importantes na gestão dos assuntos locais e sub-regionais, nos campos de desenvolvimento e das negociações de paz a fim de desencadear mudanças políticas substanciais para uma sub-região mais estável”.

Para a vice-presidente da Plataforma Política das Mulheres Aissatu Indjai, a violência baseada no género é um flagelo que desintegra os laços enquanto seres humanos, manifestando de diversas formas. “ O papel da mulher na gestão e resolução dos conflitos comunitários é notável a olho nu por ser a gestora e mediadora de todos os conflitos orquestrados pelos homens”.

Durante todo dia de hoje, os conferencistas analisam entre outros temas a promoção da estabilidade, combate a criminalidade e o tráfico ilícito como ferramenta das autoridades locais para a construção da paz e o papel das mulheres na gestão, mediação e resolução de conflitos comunitários.

Por: Nautaran Marcos Có

 

Escreva à RSM

email 

Entre em contato com a Rádio Sol Mansi.

Continuar

Ajuda RSM

helpContribua para a manutenção dos nossos equipamentos e a formação da nossa equipa.

Ajuda

Questo sito fa uso di cookie per migliorare l’esperienza di navigazione degli utenti e per raccogliere informazioni sull’utilizzo del sito stesso. Leggi di più