O Partido Africano para a Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC) afirma que as ideias de Amílcar Cabral estão a ser cumpridas dentro do partido por ele criado. O partido diz que Cabral é um património mais valioso da Guiné-Bissau.

A afirmação é do Secretário Nacional desta formação política feita, hoje, durante uma Conferência de Imprensa que visa falar do Programa das comemorações dos 50 anos, aniversário do assassinato de Amílcar Cabral, que politicamente será celebrado, com a realização das atividades “jornadas de janeiro de luta” quer no país assim como no exterior.

António Patrocínio Barbosa considera de lamentável a forma como o governo não está a assumir com grande relevo, estas comemorações dos 50 anos de assassinato de Amílcar Cabral, pai e fundador das nacionalidades guineense e cabo-verdiano.

“ (…) A visão e a atitude política intelectual de Amílcar Cabral ultrapassa as estruturas do PAIGC e da Guiné-Bissau, entretanto, é por isso que dizemos para que não vermos esse líder como um simples e um número um do partido, mas deve ser tratado como um património mais valioso do país. Porém é com grande tristeza que vemos a forma como o governo não está a assumir com grande relevo, estas comemorações dos 50 anos de assassinato de Amílcar Cabral, pai e fundador das nacionalidades guineense e cabo-verdiano”, disse.

Questionado se esta é a vontade do Cabral, que é ver o país na forma como se apresenta, Patrocínio Barbosa diz que ainda falta muito, porque o país tem ainda uma sociedade desestruturada e com políticos que não sabem do valor da luta da libertação.

“Para afirmação de uma sociedade certamente que não é nos 10, 20,30 anos, mas se Cabral ainda está de luta talvez será outra história, por isso a direção do PAIGC entende que falta muito enquanto não forem criadas as condições da igualdade social, da justiça, de liberdade. Ainda existe muito por fazer, porque temos uma sociedade desestruturada e com políticos que não dão valor a causa da luta de libertação nacional, porém com diz Cabral, esse país deve ser guiado pelo seu bom filho que não é aquela pessoa que vive de esquemas mas aquele que aceita colocar o projeto da nação em primeiro lugar”, defende.  

Recorde-se que no decurso do ano de 2023, o PAIGC vai festejar 3 datas históricos, segundo informou o Secretário Nacional desta formação política, nomeadamente os 50 anos da morte de Amílcar Cabral, igualmente 50 anos da morte de Titina Silá e 60 anos do início da Luta de Libertação.

No qual segundo disse António Patrocínio, o partido vai desencadear diversas atividades como forma de reconhecimento aos que deram as suas contribuições de forma justa para a independência do país.

 

Por: Diana Bacurim

Escreva à RSM

email 

Entre em contato com a Rádio Sol Mansi.

Continuar

Ajuda RSM

helpContribua para a manutenção dos nossos equipamentos e a formação da nossa equipa.

Ajuda

Questo sito fa uso di cookie per migliorare l’esperienza di navigazione degli utenti e per raccogliere informazioni sull’utilizzo del sito stesso. Leggi di più