O Movimento para a Alternância Democrática Madem-G15 promete avançar com outro nome para o cargo do segundo vice-presidente da Assembleia Nacional Popular (parlamento)

A posição do movimento foi conhecida hora antes da missão ministerial da organização sub-regional “CEDEAO” deixar a Guiné-Bissau, depois do encontro de dois dias com as autoridades nacionais onde se abordou o actual impasse político. A CEDEAO ameaça impor novas sanções às atores políticos que estão a bloquear o processo da negociação do impasse político do país.

Em conferência de imprensa, hoje (20), em Bissau, o líder deste movimento político, Braima Camara, reafirma que o partido vai enviar o nome da outra pessoa à luz do seu estatuto.

Braima Camara diz que o seu movimento não vai aceitar qualquer solução que põe em causa a constituição da república assim como o estatuto do MADEM.

Na eleição da mesa da ANP, o líder do Madem viu o seu nome chumbado pela maioria dos deputados na primeira sessão parlamentar, a 18 de abril, que abriu caminho para um novo impasse politico que alegadamente tem condicionado a nomeação do novo primeiro-ministro e consequente formação do governo, resultante das eleições legislativas de 10 de março.

 

Por: Elisangila Raisa Silva dos Santos

Podcast

podcast

Escute quando quiser as emissões da Rádio Sol Mansi.

 

 

 

Ouvir

Escreva à RSM

email 

Entre em contato com a Rádio Sol Mansi.

Continuar

Ajuda RSM

helpContribua para a manutenção dos nossos equipamentos e a formação da nossa equipa.

Ajuda

Questo sito fa uso di cookie per migliorare l’esperienza di navigazione degli utenti e per raccogliere informazioni sull’utilizzo del sito stesso. Leggi di più