O Sindicato Nacional do Corpo de Guarda Prisional da Guiné-Bissau ameaça fechar todas as prisões a nível nacional durante cinco (05) dias, caso o governo não cumprir com os dois pontos restando do memorando assinado, no mês de Janeiro deste ano

Anunciou esta sexta-feira (12), o presidente do sindicato, Iasalde José da Silva, durante uma conferência de imprensa onde garantiu ainda que a sua direção está disponível a possível negociação com o governo.

O secretário-geral do sindicato, Demba Só, considerou o incumprimento do memorando de desprezo por parte do patronato.

Ainda o sindicalista afirma que enquanto o governo não cumprir com o memorando de entendimento, a greve não vai parar.

Demba Só denuncia ainda as más condições das selas das prisões a nível nacional com destaque a centro de detenção de Bandim.

 

Por: Redação

Podcast

podcast

Escute quando quiser as emissões da Rádio Sol Mansi.

 

 

 

Ouvir

Escreva à RSM

email 

Entre em contato com a Rádio Sol Mansi.

Continuar

Ajuda RSM

helpContribua para a manutenção dos nossos equipamentos e a formação da nossa equipa.

Ajuda

Subscreva notícias

Questo sito fa uso di cookie per migliorare l’esperienza di navigazione degli utenti e per raccogliere informazioni sull’utilizzo del sito stesso. Leggi di più