O governo lançou, esta terça-feira em Bissau, a vacina contra a diarreia causada por rotavírus no programa nacional de vacinação, com o objetivo de combater as doenças diarreicas, que são a segunda causa da mortalidade nas crianças menores de cinco anos.

"Na Guiné-Bissau nos últimos anos registou-se algum progresso no combate à mortalidade infantil com a diminuição de forma drástica de várias doenças que, muitas das vezes, acabavam por redundarem em mortes, sobretudo de crianças - estamos a falar por exemplo de hepatite B, tétano, poliomielite, etc- graças às ações de vacinação de forma regular e em todas as regiões do país", disse Pauleta Camara, em representação do primeiro-ministro.

Para Pauleta Camara, a vacinação é uma das intervenções de saúde mais bem sucedidas e mais rentáveis, e "está provada que pode prevenir  2 a 3 milhões de mortes por ano, reduzindo significativamente a taxa de mortalidade no mundo de forma mais segura e mais barata". 

Pela eficácia e segurança da vacina contra a diarreia causada por rotavírus na prevenção das doenças diarreicas, a Organização Mundial da Saúde recomenda que as vacinas conjugadas contra o pneumococo e as de rotavírus façam parte de todos os programas de vacinação de rotina das crianças.

O representante do Fundo das Nações Unidas para Infância (UNICEF), Abubacar Sultan, disse que iniciativas como a que foi lançada esta terça-feira, permitem diminuir a mortalidade nas crianças com menos de cinco anos.

"Segundo dados do MICs 2014, a cada 1000 crianças que nascem vivas, 89 morrem antes de completar 5 anos de vida na Guiné-Bissau. Um número elevado, mas que gradualmente vamos tentando baixar com iniciativas como esta, tomadas pelas autoridades governamentais deste país, com o apoio das Nações Unidas, de outros organismos de cooperação internacional como a Aliança Global para as Vacinas e Imunização (GAVI) e a sociedade civil que atuam fortemente para reverter esse quadro", declarou Abubacar Sultan.

O representante do UNICEF afirmou ainda que as principais doenças evitáveis pela vacinação representam mais de 35% das mortes em crianças a cada ano, na sua maioria nos países em desenvolvimento", pelo que "uma luta acelerada e integrada contra as doenças diarreicas, constitui uma prioridade na redução da mortalidade nas crianças menores de cinco anos".

A vacina que acaba de ser lançada, vai estar disponível gratuitamente em todas as estruturas sanitárias do país para crianças com 1 mês e meio e crianças de 2 meses e meio para combater as doenças diarreicas, que são a segunda causa da mortalidade nas crianças menores de cinco anos.

De acordo com o comunicado de imprensa conjunta do ministério de Saúde Pública e dos seus parceiros, estima-se que, em cada ano, cerca de 800 mil crianças morrem vítimas da doença por rotavírus e mais de 2 milhões são hospitalizadas. Independentemente do local onde vivem, quase todas as crianças são infectadas por rotavírus pelo menos uma vez antes de atingirem 5 anos de idade.

Escreva à RSM

email 

Entre em contato com a Rádio Sol Mansi.

Continuar

Ajuda RSM

helpContribua para a manutenção dos nossos equipamentos e a formação da nossa equipa.

Ajuda

Subscreva notícias