26
Mar
2020

Umaro Sissoco Embalo reconfirmou esta quinta-feira a retirada do país das forças de interposição da CEDEAO, ECOMIB e garante que o processo vai ser analisado a nível de chefes de Estados e do governo da comunidade.

Umaro Sissoco Embalo falava a imprensa após a visita efectuada esta manhã as instalações das forças de ECOMIB no país.

Embalo disse que as forças de ECOMIB chegaram ao país no âmbito da manutenção da paz por isso não desvaloriza o trabalho feito pelo contingente.

“ As decisões que vão ser tomados, vai ser a nível de chefes de Estados e do governo pra analisar de factos o que vamos fazer sobre os seus destinos. Se declaramos estado de emergência devido pandemia de novo coronavírus neste momento eles podem ajudar, vai chegar altura, só os militar que vão tomar conta desta doença”

Por outro lado, Umaro Sissoco Embalo reconheceu a importância das forças de ECOMIB no país desde 2012 até data presente. “ Há rumores que estão a circular que expulsamos as forças de ECOMIB, não é verdade porque fazemos pate da ECOMIB e estamos integrados, somos da CEDAO”.

Confrontado sobre a possibilidade do país declarar estado de emergência devido a pandemia do novo coronavírus, Embalo defendeu que o processo já esta em avaliação.

“ Ainda temos dois casos que estamos a lutar para estancar, vocês sabem como surgiu este dois casos, portanto não pode só decretar as questões de emergência, mas estamos a analisar a proposta até sábado”

Entretanto as forças de ECOMIB chegam ao país depois de golpe de Estado de 12 de Abril de 2012 com objectivo de manter a paz.

A redacção

Questo sito fa uso di cookie per migliorare l’esperienza di navigazione degli utenti e per raccogliere informazioni sull’utilizzo del sito stesso. Leggi di più