10
Mar
2020

 

O Presidente da República declarado pela Comissão Nacional de Eleição (CNE) vencedor da segunda volta das presidências, Umaro Sissoco Embaló, assegura que o país está a recuperar da refundação do novo Estado com a nova dinâmica e o governo está a funcionar em plenitude.

Embalo proferiu as palavras, hoje (10 de Março), no início do seu primeiro périplo oficial a sub-região, depois da sua investidura simbólica no passado dia 27 de Fevereiro.

Sissoco Embalo fez-se acompanhar neste seu périplo por Suzi Carla Barbosa, empossado, ainda hoje (10), no palácio da República para chefiar a diplomacia guineense no governo liderado por Nuno Gomes Nabiam, Suzi Barbosa renunciou a mesma função no governo de Aristides Gomes.

Em declaração aos jornalistas, no aeroporto de Bissau, momento antes de deixar o solo guineense com o destino ao Senegal, Níger e Nigéria, Embaló assegura que o país está a recuperar da refundação do novo Estado com a nova dinâmica.

“Agora penso que é seguir as orientações do novo governo e a política que estamos a estabelecer na Guiné-Bissau”.

Entretanto, sobre o cancelamento da missão da CEDEAO, que devia iniciar contacto com as autoridades guineenses nesta segunda-feira com vista a resolução do contencioso eleitoral, Sissoco Embalo confirma que foi ele que ordenou o cancelamento desta delegação sub-regional ao país.

“A Guiné-Bissau e um país soberano e não podemos trazer aqui peritos em direito se temos um Supremo Tribunal e isso seria como uma forma de subalternizar o órgão supremo da nação em termos de jurisprudência”, admite.

Na mesma ocasião, Umaro Sissoco Embalo anunciou que, na qualidade do chefe de Estado, ordenou ontem (09 de Março) o seu primeiro-ministro Nuno Gomes Nabiam, que executasse ao cancelamento da missão da força do ECOMIB, porque “o país não está em guerra”.

“Hoje é a última vez que verão a caravana de ECOMIB na minha escolta pessoal porque eu confio nas forças da república da Guiné-Bissau e assim tem que ser para todas as pessoas. Quem garante a segurança é o governo e o primeiro-ministro «por ele empossado» já tem dispositivo montado para garantir segurança para todos os guineenses”, garante.

Umaro Sissoco Embaló, dado como vencedor das presidenciais pela Comissão Nacional de Eleições, tomou posse simbólico em 27 de fevereiro, sem que o Supremo Tribunal de Justiça pronunciasse sobre um novo recurso de contencioso eleitoral, interposto pelo candidato Domingos Simões Pereira, que alega grave irregularidade no processo.

 

Por: Elisangila Raisa Silva dos Santos / Braima Sigá

Questo sito fa uso di cookie per migliorare l’esperienza di navigazione degli utenti e per raccogliere informazioni sull’utilizzo del sito stesso. Leggi di più