27
Mar
2020

O Procurador-Geral da Republica (PGR) disse, esta sexta-feira (27), que o Ministério Público (MP) enfrenta neste momento vários desafios, mas dos mais importantes é o combate aos crimes da natureza económica e a luta contra o tráfico de droga.

As prioridades de combater estes dois aspectos no país, foram reveladas no ato da tomada de posse da nova vice PGR, e que igualmente passa a coordenar os Serviços do Ministério Publico para o Sector Autónimo de Bissau e Biombo.

O ato ficou marcado com o cumprimento das orientação da Organização Mundial de Saúde (OMS), de manter sempre distante como forma de combater a propagação do novo coronavírus responsável pela pandemia da covid-19.

Segundo Ladislau Clemente Fernando Embassa o crime da natureza economia são crime que há muito tempo tem afectado o tecido económico e a própria dinâmica da vida política do país.

“Considero que um dos desafios mais importantes que neste momento o Ministério Público tem que enfrentar com a determinação, com a independência e a autonomia é a questão de combate aos crimes de natureza económica. São crimes que há muito tempo vem corroendo a nossa sociedade e o nosso tecido económico, mas também a própria dinâmica da vida política, porque muitas das vezes a dureza da luta politica na Guiné-Bissau também tem a ver com a luta para o açambarcamento dos recursos do Estado, o que é motivado pela impunidade que as pessoas sentem, que os responsáveis pela gestão dos erário público sentem e que estão em a vontade para que muitas das vezes terem praticas que vão contra os interesse público e interesse nacional”.

Daí, segundo o PGR, este desafio do MP enfrentar a luta contra a corrupção e crimes conexos seja uma acção que deve ser empreendida não só com o apoio da PGR mas também da sua nova vice e dos mais responsáveis do MP.

Em relação ao combate ao tráfico de droga, Embassá disse que “o tráfico de droga ultimamente tem afectado muito a Guiné-Bissau e tem de alguma forma influída também na própria dinâmica da vida sociopolítico do país”.

Entretanto, confrontado com estas duas práticas nefastas apontadas pelo PGR como um dos principais desafios neste momento para o MP, a nova vice PGR, Manuela Manuel Lopes Mendes, promete trabalhar e dar o seu máximo para, efectivamente, combater este flagelo que segundo ela mancha a sociedade guineense.

A nova vice PGR, Manuela Manuel Lopes Mendes, até aqui desempenhava as funções da coordenadora do MP junto do Tribunal da Relação.

A magistrada substitui no cargo Teresa Alexandrina da Silva que, recentemente, foi nomeada para exercer as funções da directora nacional da Polícia Judiciária.

 

Por: Elisangila Raisa Silva dos Santos / Braima Sigá

Questo sito fa uso di cookie per migliorare l’esperienza di navigazione degli utenti e per raccogliere informazioni sull’utilizzo del sito stesso. Leggi di più