30
Jan
2018

 

O Colectivo dos Partidos Políticos Democráticos afirma que a democracia está em perigo na Guiné-Bissau em que a constituição continua a ser violada progressivamente para implantar a ditadura no país.

Esta reacção vem na sequência do assalto à sede do PAIGC pelas forças de segurança que impedem a realização do nono congresso dos libertadores previstos para iniciar esta terça-feira (30 de Janeiro).

 Para o líder da União para Mudança, Agnelo Regala, presente neste encontro, disse que “ para que a ditadura não exista no país, temos que ter a coragem inclusive de dar a nossa vida para a democracia continua a afirma na Guiné-Bissau”.

“Não podemos permitir o que vimos hoje, não por ser o PAIGC uma vez que podia ser APU-PDGB, PND, UM e PCD estar na mesma situação em que se encontra o partido libertador”, afirmou Agnelo Regala.

Nuno Gomes Nabian, líder de Assembleia de Povo Unido (APU-PDGB), considerou o acto de triste e de anormal uma vez que não é possível manipular a justiça perante a política.

“Entendemos que a nossa democracia esta ser ameaçada e a nossa constituição não está ser valorizada por isso não é normal a invasão e assalto a sede de um partido. Isso não é democracia nós não podemos pautaram com isso”, atirou o presidente APU-PDGB.

Por seu turno, o presidente do Partido da Unidade Nacional (PUN), Idrisse Djalo também considerou o acto de profundamente antidemocrático e desprezível por isso condena com todo a força.

“Não pensei que neste ano de 2018 podemos verificar este tipo de cena triste da polícia na sede de um partido qualquer que seja. Para nós, não é nenhuma justificação, é um acto profundamente antidemocrático e desprezível”, condena Djalo.

Por: Marcelino Iambi

Questo sito fa uso di cookie per migliorare l’esperienza di navigazione degli utenti e per raccogliere informazioni sull’utilizzo del sito stesso. Leggi di più