10
Jan
2019

Esta quinta-feira (10), é o prazo limite estipulado pelo Supremo Tribunal de Justiça (STJ) para a deposição da lista dos partidos políticos que desejam concorrer às eleições de 10 de Março Corrente

A maioria dos partidos políticos aproveita o último dia para preencher as formalidades. As entregas começaram esta manhã e devem terminar às 16 horas de Bissau.

Entretanto, o Partido Africano da Independência da Guiné e Cabo-Verde (PAIGC) foi o primeiro a entregar a sua lista. O acto aconteceu no dia 04 corrente e na ocasião o líder, Domingos Simões Pereira, disse que a lista do seu partido obedece a lei de paridade.

PDD

Hoje (10), o primeiro a entregar a lista é o Partido Democrático para o Desenvolvimento (PDD) já depositou a lista de candidatura à deputados de nação, no Supremo Tribunal de Justiça.

Á imprensa, Policiano Gomes, presiente do PDD, disse que o partido é composto por jovens que querem revolucionar a política da Guiné-Bissau.

“Entregamos os documentos para dar esperança ao povo guineense e estamos convencidos na vitória certa porque a Guiné-Bissau precisa de nova geração e dos políticos jovens que servirão os interesses nacionais”

Policiano diz ainda que na lista ora entregue constam 12 mulheres e 18 homens e “a nossa política é baseada na questão do género”. Gomes diz estar preocupado com o aumento de discursos tribais que poderão dividir os guineenses e dos meios ostentados durante as campanhas e por isso pede a intervenção das autoridades nacionais.

“Vamos concorrer no círculo 27, 14, 15 e 22 de África. Vamos sair com deputados para revolucionar o nosso parlamento”, adianta.

O líder do PDD Policiano Gomes concorre no círculo eleitoral-27.

PSD

Partido Social Democrata, liderado por Samba Balde, também já entregou a sua lista de candidaturas e irá concorrer em nove circulos eleitorais.

Heitor Gomes Dias, Secretário geral, disse que na lista constam duas mulheres por cada circulo.
 
Movimento Ba-Fata
 
Movimento Ba-fatá disse que vai concorrer em 27 circulos eleitorais e caso for eleito promete reformas profundas nas instituições do Estado.
 
APU-PDGB

A Assembleia do Povo Unido, Partido Democrático da Guiné-Bissau (APU-PDGB), liderado por Nuno Gomes Na Biam, já depositou a lista dos candidatos no STJ.

Mama Saliu Lamba, vice Presidente do movimento, disse que é chegada a hora dos guineenses encontrarem alternativas nas eleições de 10 de Março depois de mais de 40 decadas porque "tudo é prioridade na Guiné-Bissau".

"A nossa será a melhor lista a ser apreciada pelo STJ e cumprimos com os 36 por cento da lei de quota".
 
Na mesma senda, o Congresso Nacional Africano, liderado por Ibraima Djaló, já depositou a lista no STJ.
O políticos disse à imprensa que está com reserva noo que poderá acontecer nas eleições porque "tudo começou mal".
 
"Vamos concorrer em todos os circulos e a nossa prioridade é saúde e educação. Devemos fazer campanha cívica para que o povo possa escolher o melhor", apela.
 
PJRT

Partido para Justiça, Reconciliação e Trabalho, liderado por Malam Nanco, entregou também a lista no STJ e, no entanto, diz estar triste com a actual situação do ensino.

“É grave e vergonhoso porque tem pessoas que andam a esbanjar bens e a população está sem escola”.

O Partido elege a justiça como prioridade e “iremos fazer valer a igualmente no STJ porque é a chave para o desenvolvimento”.

PUN

Já Idrissa Djalo, do Partido de Unidade Nacional (PUN), disse que a “longa batalha” que se aproxima é protagonizada pelos próprios guineenses e os cidadãos serão árbitros e decidirão o rumo do país.

"O PUN toma parte activa no processo porque o que está em causa é o futuro do país. Estamos preparados para batalha e ajudaremos a esclarecer e a contribuir. O PUN concorre em todos os círculos de Bissau e no círculo 13 porque tínhamos outros planos mas entendemos que Bissau é o Coração da Guiné”.

FREPASNA

Frente Patriótica de Salvação Nacional (FREPASNA) diz que vai concorrer em todos os círculos do país porque está comprometido com o futuro do país.

“Trouxemos uma lista recheada de mulheres e isso é uma inovação porque fomos criados no dia das mulheres”.

O antigo primeiro-ministro, Baciro Djá, que igualmente lidera o partido, é a cabeça de lista da Frepasna.

MADEM-G15

O MADEM G-15 vai concorrer em todos os círculos eleitorais com o propósito de fazer mudança positiva no país.

Braima Camara disse que a mensagem é de paz e com o MAGEM-G15 haverá estabilidade no país e fomos expulsados injustamente no partido.

"Como não queremos problemas vimos que são criadas condições para criarmos um novo movimento e caso sejamos eleitos os guineenses podem esperar paz, estabilidade e mudança e a nossa independencia e soberania serão resgatados do chão como no dia que a nossa independencia foi proclamada porque a juventude terá futuro garantido".

“Pedimos desculpas a todos os povos e faremos o possível para que o nosso projecto e programa de desenvolvimento sejam conhecidos em todo o país e os projectos ligados a mulheres, jovens e adultos. Naturalmente acreditamos na vitória no dia 10 de Março e estamos absolutamente preparados porque andamos todo o país e fazemos um diagnostico realista e ponderamos este resultado”.

Braima diz ainda que o seu movimento é contra qualquer tipo de tribalismo e de divisão etnica.

PRS

O Partido da Renovação Social disse que concorre em todos os círculos que constituem o universo eleitoral.

Florentino Mendes pereira disse que o PRS diz estar pronto e confiante nas próximas eleições e neste momento tem coligação do Movimento Botche Cande e José Mário Vaz.

Florentino Mendes Pereira disse que é preciso rever a constituição de república para evitar conflitos de poder entre o presidente da república e o primeiro-ministro e isto numa clara alusão ao pedido do presidente José Mário Vaz que pede a revisão da constituição.

O que se vive no STJ é um "carnaval" da democracia porque várias pessoas estão em frente ao estabelicimento acompanhando os seus partidos.

 

Texto: Elisangila Raisa Silva dos Santos

Imagem: Iasmine Fernandes

 

Questo sito fa uso di cookie per migliorare l’esperienza di navigazione degli utenti e per raccogliere informazioni sull’utilizzo del sito stesso. Leggi di più