O Partido Africano da Independência da Guiné e Cabo-Verde (PAIGC) vai realizar o seu nono congresso com garantias de segurança por parte da CEDEAO

A garantia foi transmitida, esta noite, ao líder dos libertadores, pela delegação da organização – sub-regional que esta no país, para avaliar a implementação da última decisão dos chefes de estados da comunidade, no que diz respeito a implementação efectiva do acordo de Conacri, com vista a ultrapassar a crise política no país.

Falando à imprensa na saída da reunião com a delegação, Domingos Simões Pereira, líder do PAIGC, disse que recebeu garantia por parte da CEDEAO, de que vai colocar segurança na sede do partido para que o congresso possa ser realizado normalmente.

Domingos Simões Pereira disse ainda que partilhou com a missão as informações que dão conta que o acordo de Conacri, não está a ser comprido, e que a organização vai mesmo avançar com aplicação das sanções junto de todas as entidades, pessoas e instituições reconhecidas como responsáveis por não comprimento do acordo.

A missão da CEDEAO, que está no país para avaliar a implementação do acordo de Conacri e a possibilidade de avançar com aplicação de sanções individuais e colectivas aos actores que estão a dificultar o processo, que por conseguinte, vai começar de 1 de Fevereiro de 2018.

Entretanto a chegada esta quarta-feira ao país, a missão já se reuniu com o presidente da república, grupo do P5 e o líder dos libertadores.

 

Por: Elisangila Raisa Silva dos Santos / Amade Djuf Djalo

Podcast

podcast

Escute quando quiser as emissões da Rádio Sol Mansi.

 

 

 

Ouvir

Escreva à RSM

email 

Entre em contato com a Rádio Sol Mansi.

Continuar

Ajuda RSM

helpContribua para a manutenção dos nossos equipamentos e a formação da nossa equipa.

Ajuda

Questo sito fa uso di cookie per migliorare l’esperienza di navigazione degli utenti e per raccogliere informazioni sull’utilizzo del sito stesso. Leggi di più