O presidente da Comissão Organizadora da Conferência Nacional para a Paz, Reconciliação e Desenvolvimento, Padre Domingos da Fonseca, defendeu o diálogo como ferramenta de soluções dos problemas na Guiné-Bissau

A ideia defendida, ontem (03 Dezembro), depois do encontro com o presidente da república, José Mário Vaz.

A Guiné-Bissau vive uma situação de instabilidade política desde 2015 com sucessivas alterações de governo que resultaram num impasse institucional e, actualmente o processo eleitoral tem vindo a ser criticado pelos partidos políticos.

Entretanto, de acordo com o padre Domingos da Fonseca se os guineenses adoptaram o diálogo e boa vontade política como ferramenta de soluções dos problemas haverá sempre consenso.

“Não há dificuldade que não pode ser superada quando existe uma boa vontade política”, sustenta.

Em relação à reconciliação dos guineenses em relação a crise política, Padre Fonseca disse que pretende-se realizar a conferência Nacional da Reconciliação num estado de estabilidade e calma política social.

No que se refere a data da realização da conferência Nacional de Reconciliação no país, Padre Domingos da Fonseca disse que o acto da fixação data é da competência do chefe de Estado, José Mário Vaz, porque já lhe foi apresentado um roteiro actualizado da situação.

A conferência da reconciliação visa colocar todos os intervenientes numa mesa para discutir os principais problemas do país e criar estratégias para um diálogo sério e eficaz.

 

Por: Elisangila Raisa Silva dos Santos / Marcelino Iambi

Podcast

podcast

Escute quando quiser as emissões da Rádio Sol Mansi.

 

 

 

Ouvir

Escreva à RSM

email 

Entre em contato com a Rádio Sol Mansi.

Continuar

Ajuda RSM

helpContribua para a manutenção dos nossos equipamentos e a formação da nossa equipa.

Ajuda

Questo sito fa uso di cookie per migliorare l’esperienza di navigazione degli utenti e per raccogliere informazioni sull’utilizzo del sito stesso. Leggi di più