25
Sep
2017

O Movimento dos Cidadãos Conscientes e Inconformados reafirma, esta segunda-feira (20), em conferência de imprensa, que o governo, através de alguns membros, não tem capacidade de corresponder com a espectativa dos cidadãos guineenses

O Porta-Voz dos inconformados com a actual situação política, Sumaila Djalo, culpa o Presidente da Republica, José Mário Vaz, pela actual crise que “que ainda continua a sustentar”.

“Avisamos a opinião pública nacional e internacional que a subida de taxa de desalfandegamento pode mexer com a subida dos preços do produto da primeira necessidade. O governo e alguns membros não têm capacidade de responder as perguntas feitas pelo movimento”, afirma Sumaila que igualmente critica o custo de certificado de 12º ano que agora custa 20 mil Franco CFA, equivalente a salario mínimo.

A falta de electricidade e da água potável mereceu crítica os inconformados.

Sumaila Djalo, Porta-Voz do Movimento, aconselha JOMAV a demitir o primeiro-ministro, Umaro Sissoko Embalo, e dissolver o parlamento para que o país possa ir ás eleições gerais.

“Que o Presidente da Republica renuncie das suas funções”, repete.

 Movimento de Cidadãos Conscientes e Inconformados pede ainda o povo guineense para “ver o caminho onde estão a levar a terra que é um caminho duvidoso” e pode levar os cidadãos a esquecerem da Constituição da Republica.

 

Por: Elisangila Raisa Silva dos Santos / Bíbia Mariza Pereira

Questo sito fa uso di cookie per migliorare l’esperienza di navigazione degli utenti e per raccogliere informazioni sull’utilizzo del sito stesso. Leggi di più