11
Jul
2016

 

O Movimento das mulheres para Paz e estabilidade denominado “nó bambu Guiné” procederam esta segunda-feira a entrega de manifestos de indignação e desesperança a presidência da republica, assembleia Nacional Popular e ao Governo.

O acto da entrega foi presenciado pelo representante da UA, da UNIOGBIS, do embaixador de senegal entre outros.

A margem da apresentação do manifesto, a coordenadora do movimento Nelvina Barreto disse que pretendem com esta iniciativa chamar a atenção dos políticos pela actual situação vigente, tendo sublinhado que “ vão fazer o seguimento dos manifestos junto destes órgãos de soberania afectados”.

No manifesto, as mulheres reconheceram que não se pode permitir que uma lógica de confrontos pessoais e de grupos se sobrepõe a imperiosa necessidade de concentrar energias positivas na construção de um estado de direito que promova a igualdade social.

Ainda, no manifesto, dizem que os indicadores de Desenvolvimento Humano são dos piores do planeta e com uma taxa de mortalidade materna das mais elevadas na sub-região e no mundo porque em cada cem mil mulheres que dão luz, 790 morrem ou após o parto; 200 em cada mil crianças morrem antes de completar os 5 anos.

Acrescentaram ainda que nenhumas das metas de desenvolvimento do milénio foram atingidas na Guiné-Bissau.

Por: Nautaran Marcos Có

Questo sito fa uso di cookie per migliorare l’esperienza di navigazione degli utenti e per raccogliere informazioni sull’utilizzo del sito stesso. Leggi di più