02
Jun
2020

O Ministro das Obras Públicas, Habitação e Urbanismo do governo liderado por Nuno Gomes Nabiam admitiu, esta terça-feira (2), a possibilidade da rescisão de contrato com algumas empresas para reabilitações dos troços de Bissau assim como do interior.

A ideia é anunciada a margem da visita efectuada a alguns troços de Bissau em que algumas já estão na fase avançada de degradação.

Segundo Fidélis Forbs, titular da pasta das Obras Públicas, Habitação e Urbanismo, neste momento esta sob alçada do ministério, todos os diagnósticos das situações das empresas contratadas para a construção e reabilitação das estradas do país e pagamento da dívida que o ministério contraiu com outras empresas.

“Estamos a negociar com as empresas, de facto, haverá rescisão de vários contractos, cumprimento da parte da empresa adjudicada, cumprimento de contrato e vamos assumir as nossas responsabilidades enquanto governo com as empresas fizeram os seus trabalho e o governo pagou”, afirmou.  

Em relação à construção de alguns troços cujos trabalhos já tinham sido anunciados, entre as quais o que liga SOS à retunda da segunda esquadra, Fidélis Forbs, explica as razoes que bloqueou o acabamento desta via.

“Nós (governo de Nuno Nabiam) quando entramos em funções, as informações que temos sobre diferentes troços que foram afectados às empresas em 2019, estava tudo confuso e exigia a realização de uma consultoria para melhor ter todo o controlo da situação destas estradas não só da SOS à 2ª Esquadra”, diz para depois realçar que “ se vejamos as razões que fizeram com que esta estrada (SOS-2ª esquadra) não foi alcatroada podemos notar que é um contrato com valor de 80 milhões com a respectiva adenda, mas neste troço foram pagos quase dois terços do contrato, o que significa que podia avançar com o revestimento desta estrada e no final depois da rescisão definitiva, a outra parte seria pago. E não é só este troço, nos trabalhos que fizemos, constatamos muitos troços com os problemas”, explicou o ministro.

No que se refere à visita efectuada em alguns troços que já se encontram no estado avançado da degradação, o ministro disse que é o motivo da preocupação e prometeu para o final da época chuvosa analisar a resolução profunda destas vias para reduzir o investimento sobretudo na época da chuva.

“É motivo da preocupação para nós [governo] de continuarmos a assumir as nossas responsabilidades enquanto governante para podermos resolver os problemas qua a população está a enfrentar, mas depois da época chuvosa, vamos analisar a resolução profunda das vias para reduzirmos investimentos que são feitos para a manutenção na época da chuva”, salientou.

A maioria das estradas da Guiné-Bissau encontram-se em avançado estado de degradação, agravada pela época das chuvas que já se inicia.

Por: Braima Sigá

Questo sito fa uso di cookie per migliorare l’esperienza di navigazione degli utenti e per raccogliere informazioni sull’utilizzo del sito stesso. Leggi di più