04
Jan
2017

 

O ministro das finanças afirmou esta quarta-feira que o estado da Guiné-Bissau deve ao Banco Central 40 bilhões de francos CFA que não foi utilizado na melhoria da vida dos guineenses.

João Aladje Fadia falava durante um encontro com operadores económicos sobre reforma nas finanças públicas diz que “ hoje as finanças públicas está numa situação muito grave porque tem uma divida na ordem de mais de 88 bilhões de francos CFA. Só o banco central, o estado devia 10 bilhões e hoje 40 bilhões. O que é que construímos com este montante”, questionou.

O ministro sublinhou que os montantes em causa não foram investidos mas sim consumidos, adiantado que o estado está a endividar novamente “porque só a nível da UEMOA endividamos 40.3 bilhões de francos CFA que entra no rácio da divida em relação ao produto interno Bruto. Estas dívidas não foram investidas mas sim consumidos”, justificou.

Por outro lado disse que não vão aumentar salario se não tiverem a condição de o pagar regularmente. “ São situações em que devemos ter elementos e se houver condições de aumento não há problema mas aumentar por aumentar não significa nada porque aumentar e não poder pagar não faz sentido”, concluiu.

O titular da pasta de finanças afirmou igualmente que as obras de reabilitação das estradas de Bissau ficaram suspensas devido a não pagamento das prestações vencidas ao BOAD que ronda 1.9 bilhões de francos CFA.

De referir que no primeiro conselho de ministros deste governo, o ministério das finanças efectuou a nomeação de novos dirigentes nas diferentes instituições que compõe aquele ministério.

Por: Nautaran Marcos Có

Questo sito fa uso di cookie per migliorare l’esperienza di navigazione degli utenti e per raccogliere informazioni sull’utilizzo del sito stesso. Leggi di più