O Alto Comissariado para a Covid-19 anunciou, esta segunda-feira, que os resultados preliminares da sequenciação confirmam a circulação da variante Ómicron na Guiné-Bissau.

O anúncio foi feito, hoje, na habitual conferência de imprensa semanal de atualização dos dados da pandemia. Segundo o secretário do Alto Comissariado, Plácido Cardoso, para além da variante Ómicron, pela primeira vez foi detetada em circulação no país a variante brasileira “Gama”.

“Variante predominante é Ómicron que circula no país junto do variante delta”, explica.

A variante Ómicron é altamente contagiosa, mas não tem grande ação mortífera em relação às outras variantes em circulação desde o início da pandemia no mundo.

No entanto, Plácido Cardoso assegurou que há um estoque suficiente do oxigénio para fazer face a eventual aumento de internamento de casos da Covid no país.

“Temos trabalhado na criança de condições ao nível nacional para melhorar a produção do oxigénio, temos recursos através do Fundo Mundial para a aquisição de 2.000 botijas, e estamos em menos de metade do consumo deste oxigénio do Fundo Mundial adquirido a partir do Senegal e o PNUD também tem recursos ao seu nível”, disse o médico guineense sustenta que atualmente decorre o aprisionamento dos nossos centros de tratamento em oxigénio.

Nos últimos sete dias, o país registrou 214 casos positivo de covid-19, nenhum óbito e dois internados. Na conferência de imprensa de hoje, o secretário do alto comissariado revelou que o executivo já tem em mãos as propostas de algumas medidas para reduzir a transmissibilidade da doença e o possível internamento.

“ (…) Penso que nos próximos dias haverá considerações e revisões de algumas medidas em termos preventivos e distrativos para reduzir a transmissibilidade da doença e possível complicação da situação epidemiológica.

Em relação ao congresso do Partido da Renovação Social, que reuniu em Ponta Gardete cerca de mil delegados, Plácido Cardoso considera de um avanço positivo a colaboração existente entre a Comissão Organizadora do Congresso e o Alto Comissariado.

Desde o início da pandemia em Março de 2020, a Guiné-Bissau registou mais de 6 mil casos positivos e 149 óbitos registados. Neste momento, segundo dados, 233 pessoas estão infetadas com a covid-19 e duas pessoas internadas.

 

Por: Elisangila Raisa Silva dos Santos / Braima Sigá

Escreva à RSM

email 

Entre em contato com a Rádio Sol Mansi.

Continuar

Ajuda RSM

helpContribua para a manutenção dos nossos equipamentos e a formação da nossa equipa.

Ajuda

Questo sito fa uso di cookie per migliorare l’esperienza di navigazione degli utenti e per raccogliere informazioni sull’utilizzo del sito stesso. Leggi di più