19
Dec
2015

O ministério da Função Pública juntou, na última sexta-feira, mais de 200 jovens de diferentes organizações, associações e bancadas para buscar soluções para o desemprego jovem.

Ao reconhecer o "peso demográfico" dos jovens na Guiné-Bissau, o coordenador da comissão, Carlos Costa, disse que convidaram "tanto os que estão nas associações, como nas redes e bancadas para ouvir as suas preocupações" e juntos encontrarem uma solução para combater o fenómeno.

"Sobre a aglomeração dos estagiários, deve se ao estágio académico, que é concedido aos que estudam para complementar os seus estudos. Agora, sobre o estágio de aquisição do trabalho efetivo, é lá que temos problemas, porque não existe aquele posto e também tem um certo erro da nossa parte", admitiu Carlos Costa em relação à situação dos estagiários.

Carlos Costa disse ainda que a Função Pública ao permitir o prolongamento do estágio sem definir os termos, acaba por "aceitar que o estagiário faz parte do quadro efetivo da instituição onde estagiou, mas sem vencimento, infelizmente". Para resolver a questão, Carlos Costa avançou que estão a fazer "um recenseamento de todos os casos, traçar perfis e procurar soluções".

O encontro contou ainda com a participação de instituições de micro crédito, a quem o ministério conta recorrer para solicitar eventual apoio de projetos para jovens.

 

Questo sito fa uso di cookie per migliorare l’esperienza di navigazione degli utenti e per raccogliere informazioni sull’utilizzo del sito stesso. Leggi di più