A fábrica de produção de oxigénios do Hospital Nacional Simão Mendes continua sem funcionar apesar da promessa do governo que a situação seria resolvida até o final do mês passado

A Rádio Sol Mansi (RSM) sabe, junto do director do maior estabelecimento hospitalar do país, que dentro de alguns dias os trabalhos da recuperação da fábrica poderão ser concluídos.

Embora sem permitir a gravação da entrevista, Francisco Aleluia Lopes, diz estar optimista na conclusão dos trabalhos a serem levados a cabo por um grupo de técnicos portugueses.

Francisco tranquiliza os guineenses prometendo a retoma dos trabalhos dentro desta semana.

Entretanto, no dia 29 de Julho do corrente ano, numa entrevista exclusiva à RSM, o secretário de Estado da Gestão Hospitalar, Anaximandro Casimiro Menut, tinha prometido, até o final de Agosto último, o funcionamento da fábrica de Produção do Oxigénio no Hospital Nacional Simão Mendes.

Anaximandro explicou ainda que o governo está mobilizado em resolver o problema e chama a atenção que não é preciso ser alarmada a falta de oxigénio no “Simão Mendes” e não significa que o país está em carência total sendo que uma parte é cobrida pela clinica madruga mas que não é suficiente.

A falta de oxigénio no Hospital Nacional Simão Mendes (maior no país) foi por várias vezes motivo de series de críticas devido ao seu impacto na vida humana.

 

Por: Elisangila Raisa Silva dos Santosas / Julinha Sana Sambú

Podcast

podcast

Escute quando quiser as emissões da Rádio Sol Mansi.

 

 

 

Ouvir

Escreva à RSM

email 

Entre em contato com a Rádio Sol Mansi.

Continuar

Ajuda RSM

helpContribua para a manutenção dos nossos equipamentos e a formação da nossa equipa.

Ajuda

Questo sito fa uso di cookie per migliorare l’esperienza di navigazione degli utenti e per raccogliere informazioni sull’utilizzo del sito stesso. Leggi di più