O Ministério Público aplicou a medida de coacção, incluindo a obrigação da apresentação periódica, contra o empresário e militante do PAIGC, Armando Correia Dias «Ndinho».

Ndinho foi ouvido, hoje, depois de 4 horas de tempo, no Ministério Público, na sequência da sua prisão no sábado por alegada posse de arma de fogo militar. Depois da aplicação da medida de coacção, o empresário já está em liberdade.

O porta-voz do colectivo dos advogados de Ndinho, Luiz Vaz Martins, disse que ao se aplicar a medida de coacção demonstra que não existe convicção que os factos invocados pela Polícia correspondem a verdade.

“Não se detém alguém que vai de boleia de terceiro no carro de terceiro em como esta pessoa estava a traficar a arma e que estaria na posse de armamento proibido sem que o proprietário do carro seja detido pela polícia

Apesar disso, Luiz Vaz Martins disse que os advogados em causa ponderam atacar as medidas de coacção aplicadas pelo tribunal.

“O nosso cliente será obrigado a apresentar-se nos termos em que o despacho do Ministério Público determinar”

A RSM sabe que o irmão de Ndinho, Carlos Manuel Correia Dias, também já está em liberdade.

Ontem (22), o Ministério do Interior disse que o empresário Armando Correia Dias (Ndinho) foi detido, em flagrante na sequência de investigações sobre a posse de 2 AK-M, 4 carregadores e 1 punhal no seu carro.

 

Por: Elisangila Raisa Silva dos Santos / Braima Sigá

Podcast

podcast

Escute quando quiser as emissões da Rádio Sol Mansi.

 

 

 

Ouvir

Escreva à RSM

email 

Entre em contato com a Rádio Sol Mansi.

Continuar

Ajuda RSM

helpContribua para a manutenção dos nossos equipamentos e a formação da nossa equipa.

Ajuda

Questo sito fa uso di cookie per migliorare l’esperienza di navigazione degli utenti e per raccogliere informazioni sull’utilizzo del sito stesso. Leggi di più