01
Apr
2020

No âmbito da prevenção da pandemia do novo coronavírus nas prisões do país, o Embaixador de boa vontade José Braima Baldé entregou ao governo um lote de materiais higiénicos.

Os materiais vêm no âmbito do grito de socorro do Sindicato de Base dos Corpos da Guarda Prisional que temia com a infecção de coronavírus devido superlotações dos reclusos nos diferentes centros de detenções do país.

Depois da formalidade do termo da entrega, o representante do embaixador de boa vontade que se encontra ausente do país, Sibite Camará considerou o momento de crítico por isso, depende do engajamento de todos para conter esta pandemia.

“Estamos num momento muito críticos no mundo e assim como na Guiné-Bissau, exige engajamento de todos para conter esta pandemia de acordo com conselho das autoridades sanitárias, é neste âmbito que o embaixador de boa-vontade fez esta doação as prisões”, explicou o representante do embaixador da boa-vontade.

Por outro lado Camará admitiu que o donativo ajudará na prevenção do novo coronavírus que assola o mundo e que tem vindo a ceifar muitas vidas.

“Contudo o embaixador se encontra em Portugal na quarentena, enviou-nos os materiais para ajudar os três centros de detenções para prevenir o coronavírus orçado em 1 milhão e 500 mil franco CFA”, referiu Sibite Camará.

O donativo visa ajudar na prevenção da pandemia do novo coronavírus nos três maiores de centros de detenções da Guiné-Bissau entre eles de Bissau (Bandim), de Mansoa e Bafatá.

Por: Marcelino Iambi

 

Questo sito fa uso di cookie per migliorare l’esperienza di navigazione degli utenti e per raccogliere informazioni sull’utilizzo del sito stesso. Leggi di più