03
Jun
2020

O economista guineense aconselha o actual governo a intervir para facilitar o circuito económico para salvaguardar os agricultores e caso contrário o próximo ano será pior para a economia nacional

José Nico Dju falava, hoje, em entrevista à Rádio Sol Mansi (RSM), sobre as consequências da pandemia do coronavírus na campanha de comercialização da castanha de Caju e ainda nas consequências do atraso da campanha para a economia nacional.

Segundo o analista, é chegada a hora do governo começar a assumir o seu papel para minimizar o impacto negativo que poderá advir da campanha da castanha que reflecte grandemente na avaliação do Produto Interno Bruto.

O analista fala ainda dos possíveis problemas para o escoamento da castanha de Caju. Ele lembra que a situação da pandemia do coronavírus limita o acesso aos potenciais compradores.

O economista aconselha os produtores a diversificarem os produtos agrícolas e para que o governo possa criar mecanismos para uma boa qualidade da produção local.

O governo fixa o preço de 350 francos cfa para a compra por quilo da castanha de caju nas mãos dos produtores. Mas sabe-se que o produto já está a ser comprado abaixo dos 200 francos cfa.

 

Por: Elisangila Raisa Silva dos Santos / Quina Nhaté

Questo sito fa uso di cookie per migliorare l’esperienza di navigazione degli utenti e per raccogliere informazioni sull’utilizzo del sito stesso. Leggi di più