A artista e embaixadora da musica moderna guineense lançou, na última quinta-feira, em Bissau, o seu quarto álbum intitulado "Udjus di mininus", um álbum que inclui diferentes ritmos e estilos de músicas guineenses.

Na presença dos familiares, amigos e entidades ligadas à cultura, Dulce Neves pediu a união no seio dos músicos guineenses.

"Devemos ter a união na cultura, somos todos irmãos e pobres, não é possível ver os músicos a mendigar porque não somos valorizados como espelho deste país e o direito do autor não funciona. A Guiné-Bissau tem grande riqueza no que se refere à cultura, que infelizmente não é reconhecido", lamentou Dulce Neves.

Ivan Barbosa, produtor do disco, disse que embora as dificuldades encontradas oe trabalho, "foi possível graças à força de vontade de muitos que participaram da realização do disco".

A cantora Eneida Marta realçou a importância dos trabalhos de Dulce em "desbravar o caminho para que as mulheres guineenses possam ter a cara e coragem para seguir a carreira".

A cantora Dulce Neves iniciou a carreira em 1976 na orquestra Super Mama Djombo. Em 2009, lançou o terceiro álbum "Mundu Rabida" com o qual ganhou o Disco de Ouro.

Podcast

podcast

Escute quando quiser as emissões da Rádio Sol Mansi.

 

 

 

Ouvir

Escreva à RSM

email 

Entre em contato com a Rádio Sol Mansi.

Continuar

Ajuda RSM

helpContribua para a manutenção dos nossos equipamentos e a formação da nossa equipa.

Ajuda

Questo sito fa uso di cookie per migliorare l’esperienza di navigazione degli utenti e per raccogliere informazioni sull’utilizzo del sito stesso. Leggi di più