O ministro da Defesa Nacional de governo de Nuno Nabian reuniu, hoje (18), o Conselho Superior Militar para analisar a situação militar do país, uma vez que a força da interposição de ECOMIB está acantonada aguardando a sua retirada depois de quase 8 anos no país.

O encontro não só contou com a presença do chefe do Estado-maior das Forças Armadas e das chefias de ramos militares, mas, também alguns oficiais militares entre quais, presidente do Tribunal Superior Militar, director da Política da Defesa Nacional e o inspector nacional do Ministério da Defesa.

Em entrevista aos jornalistas depois do encontro que decorreu um pouco menos de três horas no ministério da Defesa Nacional, Sandji Fati, que tutela a pasta da defesa, disse que transmitiu as chefias militares como as suas tarefas de proteger as instituições do estado e as individualidades está acrescida com a retirada de ECOMIB.

“Tivemos um único ponto a analisar, a situação militar do país, como sabem, as forças do ECOMIB que estava instalado com a missão de proteger as instituições e as individualidades já estão acantonadas a espera da data da ida e foi neste sentido que transmitimos as nossas forças armadas como as suas responsabilidade de proteger as instituições e individualidade estão acrescida com esta retirada”, revelou.      

Em relação a retirada do ECOMB, Sandji Fati, revelou que serao condecorados. “Quando as forças de ECOMIB partir, serão condecorado sobretudo a nível das suas standard, ou seja, bandeira que cada unidade militar tem e serão extensivo a todos que já passaram aqui, mais isso, não significa que cada um dos soldados vão ser condecorado, porque basta condecorar a bandeira sobre qual eles serviram significa que é extensivo a este soldado”.    

Soldados da força de interposição da Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (ECOMIB) são quase predominadas pelos senegaleses, nigerianos e burquinabês estacionadas na Guiné-Bissau desde 2012, a seguir a um golpe de Estado na altura.

Por: Braima Sigá

Podcast

podcast

Escute quando quiser as emissões da Rádio Sol Mansi.

 

 

 

Ouvir

Escreva à RSM

email 

Entre em contato com a Rádio Sol Mansi.

Continuar

Ajuda RSM

helpContribua para a manutenção dos nossos equipamentos e a formação da nossa equipa.

Ajuda

Questo sito fa uso di cookie per migliorare l’esperienza di navigazione degli utenti e per raccogliere informazioni sull’utilizzo del sito stesso. Leggi di più