02
Jan
2020

O comentador permanente da Radio Sol Mansi (RSM), politólogo Rui Jorge Semedo, afirma que o novo Presidente da República (PR) deve trabalhar na criação de condições para recuperar a credibilidade do país ao nível interno e externo.

Rui Jorge Semedo falava, esta quinta-feira, à Radio Sol Mansi, sobre o anúncio dos resultados provisórios que dão vitória ao candidato apoiado pelo MADEM G15 cujos resultados foram recusados por Domingos Simões Pereira que promete entrar com uma impugnação contra os resultados provisórios anunciados pela Comissão Nacional de Eleições (CNE).

Segundo o politólogo, o desafio do PR eleito também passa pela criação de consenso dentro dos limites do funcionamento das instituições do país

“A partir de agora deixou de ser o militante do MADEM também deixou de ter lados, passou a ser uma figura que deve trabalhar muito para recuperar a credibilidade do país tanto ao nível interno como externo por isso deve distanciar das coisas que podem contribuir para fragilizar a sua autoridade”, aconselha comentador.

Para Semedo, o PR eleito deve trabalhar para que seja reserva moral, institucional, política e reserva de tudo o que é necessário para construir um Estado forte.

“Ainda realçou no seu discurso a necessidade do país ter a capacidade de resolver o seu problema, para que isso aconteça a Guiné-Bissau tem que ter um PR que possa dar exemplo institucional e símbolo de unidade nacional, o presidente da república não pode patrocinar nenhuma iniciativa que pode pôr em causa o resultado das eleições legislativa”, alerta Rui Jorge.

Na mesma entrevista, o politólogo realçou que a primeira coisa a ser feita pelo PR eleito é distanciar dos partidos políticos e não defender o interesse de um determinado grupo abdicando daquilo que é a sua responsabilidade política constitucional.

Em relação ao discurso do presidente do PAIGC e candidato derrotado, depois do anúncio do resultado provisório, Rui Jorge pediu ao Domingos Simões Pereira para continuar com a sua postura democrática.

“Apesar de aparentemente o presidente do PAIGC também candidato do seu partido para estas eleições aparecer no dia do seu discurso com uma postura calma e serena, derrota em qualquer situação afecta qualquer um de nós, sobretudo quando existe grande probabilidade do candidato «Domingos Simões Pereira» ser o vencedor e depois na urna aquele resultado não vier a ser o esperado”, sustenta.

Segundo Rui Jorge Semedo não será benéfico nem para o presidente do PAIGC e nem para o próprio partido entrar para o caminho de impugnação, “será benéfico quando o que o mesmo expressa e aquilo que deixa transparecer que é uma postura de um democrata”.

Para o comentador Domingos Simões Pereira poderá ganhar mais ponto quando aceitar o resultado e internamente ver em que falhou no partido e os trabalhos das figuras colocadas para trabalhar na directoria da sua campanha.

 

Por: Elisangila Raisa Silva dos Santos / Anézia Tavares Gomes

Questo sito fa uso di cookie per migliorare l’esperienza di navigazione degli utenti e per raccogliere informazioni sull’utilizzo del sito stesso. Leggi di più