O comentador político da Radio Sol Mansi (RSM), Rui Jorge Semedo, considera de surpreendente a maturidade cívica demostrada pelos guineenses, ontem (10 de Março), durante o processo de votação

A consideração do politólogo guineense, Rui Jorge Semedo foi feita, esta segunda-feira (11), um dia depois de os potências eleitores terem ido às urnas para escolherem 102 deputados para lhes representarem durante os próximos quatro (04), anos na Assembleia Nacional Popular.

“Surpreendentemente mais uma vez eleitores guineenses conseguem provar as suas maturidades cívicas e todos os guineenses estão de parabéns pela forma como deram um exemplo do que significa democracia e a eleição”.

Relativamente as dificuldade que alguns eleitores tiverem durante o processo de votação em que outros não conseguiram exercer os seus deveres cívicos, o politólogo disse que estas dificuldades resultam de forma como foi conduzido o processo.

“Felizmente os eleitores conseguiram reagir positivamente a esta situação e espero que os gestores do processo; a Comissão Nacional de Eleição - (CNE) e o Gabinete Técnico ao Processo Eleitoral (GTAPE), vão estar na altura de garantir os deveres cívicos destas que não conseguiram votar para que consigam na presidencial que se vizinha”.

Rui Jorge Semedo exorta por outro lado os partidos políticos que tenham a mesma atitude dos eleitores, isto é, depois da divulgação dos resultados “como forma de estabilizar o país”.

Comissão Nacional das Eleições

Os resultados provisórios vão ser anunciados na próxima quarta-feira (13), apela (CNE). Enquanto isso, a CNE apela aos partidos políticos e os órgãos de comunicação social a se absterem de veicular os resultados.

“O acto de divulgar os resultados eleitorais é da competência exclusive da CNE por isso é preciso que se absterem de veicular os resultados para evitar a possível crise no processo”, apela a porta-voz da CNE que admite que ultrapassou os 2,7 por centos dos cidadãos que não votaram.

CNE disse que a votação decorreu bem e a taxa de participação foi positiva e as Comissões Regionais de Eleições estão a compilar os dados.

População pede contenção

Entretanto, a polução Guineense apela aos actores políticos a encararem os resultados provisórios com a mesma maturidade demonstrada por alguns guineses que não conseguiram votar durante o processo eleitoral.

De acordo com as opiniões recolhidas, hoje, pela RSM, os guineenses consideram que num estado democrático quem perder deve aceitar os resultados como a única forma de contribuir para o desenvolvimento do país de uma forma democrática.

“Quem ganhar que governe de acordo com o projecto apresentado durante a a campanha eleitoral”, disse um cidadão que vive na capital Bissau.

“Que aceitem o resultado sem problema porque por mal ou por bem haverá um partido vencedor. Estamos fartos destas instabilidades e a escola ainda não funciona, não temos hospital e nada”, pede uma cidadã de São-Domingos, zona norte do país.

Os eleitores votarem no domingo (10) para a constituição de um novo parlamento e consequente formação de um novo governo para a Xª legislatura.

 

Por: Elisangila Raisa Silva dos Santos

Podcast

podcast

Escute quando quiser as emissões da Rádio Sol Mansi.

 

 

 

Ouvir

Escreva à RSM

email 

Entre em contato com a Rádio Sol Mansi.

Continuar

Ajuda RSM

helpContribua para a manutenção dos nossos equipamentos e a formação da nossa equipa.

Ajuda

Questo sito fa uso di cookie per migliorare l’esperienza di navigazione degli utenti e per raccogliere informazioni sull’utilizzo del sito stesso. Leggi di più