27
Dec
2019

A Comissão Nacional de Eleições (CNE) reafirma a sua determinação em observar integralmente todos os parâmetros das democracias modernas e pluralistas nesta segunda volta das presidências.

A reafirmação da convicção é tornada publica esta sexta-feira, 27 de Dezembro, pelo presidente da CNE numa conferência de imprensa que tem como finalidade apelo a voto no escrutínio de domingo próximo.

De acordo com José Pedro Sambu a instituição que dirige pretende que o escrutínio decorre no ambiente de civismo e de exercício da cidadania.

“A comissão Nacional de eleições, reafirma de forma inequívoca, a sua determinação em observar integralmente todos os parâmetros das democracias modernas e pluralistas e que escrutínio decorre no ambiente de civismo e de exercício da cidadania, na certeza porém, de que as eleições serão livres e transparentes e os resultados serão justos e credíveis”, sublinhou o presidente da CNE.

Por outro lado Sambu apelo aos eleitores no sentido de não hesitarem e muito menos abdicar de exercer o seu direito fundamental de voto assim como de conservar os seus cartões de eleitores.

“A CNE apela ao cidadão eleitor de não hesitar e muito menos abdicar de exercer o seu direito fundamental assim como de conservar o seu cartão de eleitor, que é pessoal e intransmissível, porque sem o cartão de eleitor não poderão votar”, referiu José Pedro Sambu.

O presidente da CNE, José Pedro Sambu exorta ainda as duas candidaturas no sentido regularizar a situação dos seus delegados de lista ou seja fiscais junto das comissões regionais de eleições.

A comissão nacional de eleições incita as duas candidaturas enquanto partes interessadas, a não abdicarem do direito que a lei lhes assiste de junto a cada mesa de assembleia de voto, colocar um delegado de lista e respectivo suplente.

Por: Marcelino Iambi

Questo sito fa uso di cookie per migliorare l’esperienza di navigazione degli utenti e per raccogliere informazioni sull’utilizzo del sito stesso. Leggi di più