01
Jun
2020

O presidente da Assembleia Nacional Popular reuniu esta segunda-feira (1) com os partidos políticos com assento parlamentar para encontrar uma solução política sobre formação do novo governo antes do dia 18 como exigiu o presidente da República.

A saída do encontro, a vice-presidente do Partido Africano da Independência da Guiné e Cabo-verde (PAIGC) que tem a maioria confortável nas últimas legislativas, Maria Costa Semedo, chamou atenção ao líder do parlamento de não deixar cair no erro sobre a formação do novo governo.

Já o coordenador do Movimento para Alternância Democrática Madem-G15, Braima Camara, pediu o exercício democrático solicitando o agendamento da secção plenária para aprovação da nova maioria.

No entender do Partido da Renovação Social (PRS), na voz do seu vice-presidente Jorge Malu, “qualquer que seja maioria nesta legislatura não oferece uma confiança ou estabilidade governativa, por isso, é preciso fazer esforço a nível das estruturas partidárias para melhor pensar o futuro governo”.

O porta-voz da Assembleia do Povo Unido Partido Democrático da Guiné-Bissau (APU-PDGB), Jorge Mandinga, mostrou-se convicto com a nova maioria e solicita a convocação da seção plenária, não obstante admite a possibilidade da inclusão do PAIGC no governo liderado por Nuno Gomes Nabiam.

Para o líder da União para Mudança, Agnelo Regala, “enquanto o país continuar a não respeitar os princípios democráticos, não vai sair na situação em que se encontra”.

O Partido da Nova Democracia (PND), representado no encontro pelo seu vice-presidente, Abas Djalo, voltou a afirmar a necessidade de encontrar uma solução entre os políticos respeitando a constituição da República.

O encontro organizado pelo líder do hemiciclo guineense, Cipriano Cassama, com os partidos políticos representados no parlamento vem na sequência dos dois anteriores encontros com os parceiros internacionais P5 (28/05) e a sociedade civil (29/05) para encontrar uma solução política com vista à formação de um novo Governo antes do dia 18 de Junho, como recomendou o Presidente da República

O chefe do Estado, Umaro Sissoco Embaló, reuniu, na semana passada (25.05), com os partidos políticos com assento parlamentar para informar que têm até ao dia 18 de junho para encontrarem uma solução política com vista à formação de um novo Governo.

No final das audiências, o chefe do estado reafirmou a sua intenção de dissolver o Parlamento se os partidos não chegarem a um entendimento até ao final deste novo prazo.

Não obstante o anúncio do novo prazo por parte de Sissoco Embaló, mas a Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO) tinha ordenado em abril último ao presidente Embalo a formação de um novo Governo, antes do dia 22.05, respeitando os resultados das legislativas de março de 2019 e a Constituição da República.

Por: Braima Sigá

Questo sito fa uso di cookie per migliorare l’esperienza di navigazione degli utenti e per raccogliere informazioni sull’utilizzo del sito stesso. Leggi di più