21
May
2019

Centrais Sindicais do país União Nacional dos Trabalhadores da Guiné (UNTG) e a Confederação-Geral dos Sindicatos Independentes consideram que a greve iniciada, hoje (21), ultrapassa a espectativa devido a adesão de mais de noventa por cento de todos os sectores

Esta vaga de greve tem a aderência da Empresa de Luz e Água da Guiné-Bissau (EAGB) e desde as 00 horas as casas e ruas do país ficaram sem corrente eléctrica e sem água portável.

A observação feita pelo presidente da comissão negocial da greve durante uma conferência de imprensa, na seda da União Nacional dos Talhadores da Guiné.

De acordo com David Mingo, a paralisação de três dias tem afectado todos os sectores da administração pública com uma adesão que ronda acima de noventa por cento, para exigir o cumprimento dos 37 pontos em revindicação.

No que se tange ao pagão que se verifica na cidade de Bissau, um grupo de consumidores revindicam diante da sede da EAGB para exigir o respeito e dignidade.

Numa entrevista aos jornalistas, a porta-voz do grupo, Adama Balde, mostrou-se indignada face a falta de água e corrente eléctrica ou seja uma pagão total em todos os bairros de Bissau.

Perante esta situação de apagão total dada a greve na função pública, ACOBES reage na voz do seu secretário-geral, Bambo Sanha, que responsabiliza a direcção da EAGB pelos danos que estão a causar aos consumidores.

Entretanto a greve na função pública tem vindo a afectar as instituições chaves da produção da receita de Estado como também atinge a vida da população.

A este propósito, na urgência do hospital Nacional Simões Mendes, contudo os serviços mínimos que estão ser prestados, os familiares apelam o engajamento do governo na resolução da greve.

Centrais sindicais admitem continuar com sucessíveis vagas de greves até que o governo cumpra com 37 pontos das revindicações. Entre os quais constam dois pontos “inegociáveis” (o aumento do salário mínimo nacional e a subida da pensão de sobrevivência dos funcionários reformados do Estado).

 

Elisangila Raisa Silva dos Santos / Marcelino Iambi

Questo sito fa uso di cookie per migliorare l’esperienza di navigazione degli utenti e per raccogliere informazioni sull’utilizzo del sito stesso. Leggi di più