O Secretário-geral da União Nacional dos Trabalhadores da Guiné confirmou esta quarta-feira (11) a suspensão de greve na função pública que vinha decorrendo desde dezembro de 2019.

Júlio Mendonça fez a confirmação após a assinatura de acordo com governo de Nuno Nabian depois de 10 rondas de paralisação.

“ Com a assinatura desta adenda ao memorando do entendimento, suspendemos a paralisação da função pública. Decidimos fazer essa luta contra a vontade mas também sabemos que se não fizermos a pressão, a Guiné-Bissau não vai mudar e essas nossa luta é sem contrapartida”, justificou.

O sindicalista disse esperar que haja boa vontade do governo em cumprir este acordo “ porque com o governo de Aristides Gomes não havia vontade de conversações com os sindicatos”.

Entretanto, a ministra de administração pública Maria Celina Tavares afirmou que conseguiram o acordo com os sindicatos graças ao ministro Fadia.

“ Depois de cinco rondas negociais, conseguimos um acordo com sindicatos para cessar as greves permitindo-nos trabalhar para cumprir com alguns pagamentos pendentes”, afirmou.

De referir que o governo comprometeu-se entre outros a pagar dois meses de divida salarial dos professores contratados de 2018/19 no salario do mês de março de 2020 e retomar o pagamento regular a partir de mês de Abril de 2020.

Por: Nautaran Marcos Có

Podcast

podcast

Escute quando quiser as emissões da Rádio Sol Mansi.

 

 

 

Ouvir

Escreva à RSM

email 

Entre em contato com a Rádio Sol Mansi.

Continuar

Ajuda RSM

helpContribua para a manutenção dos nossos equipamentos e a formação da nossa equipa.

Ajuda

Questo sito fa uso di cookie per migliorare l’esperienza di navigazione degli utenti e per raccogliere informazioni sull’utilizzo del sito stesso. Leggi di più