O Governo brasileiro através da sua embaixada em Bissau entregou no princípio desta tarde ao Ministério da Saúde Pública, lote de medicamentos anti-retrovirais, orçado num valor que ronda 200 mil dólares

Após as formalidades da entrega no Ministério da Saúde, o diplomata brasileiro, Fábio Guimarães Franco, diz que “o gesto é a continuidade das relações existente entre os dois povos no combate ao VIH/SIDA”.

A Secretária do Estado da Gestão Hospitalar, Cornélia Lopes, elogiou o gesto afirmando que actualmente toda a tenção está virada ao combate a pandemia do novo coronavírus, mas o país tem “muitas problemas de anti-retrovirais” e o donativo vai colmatar as carências neste aspecto.

De acordo com dados da ONUSIDA, há mais de 44 mil pessoas infectadas com VIH na Guiné-Bissau. As mulheres, sobretudo as grávidas, são as mais afectadas, estando a maioria delas a viver na zona leste, nas regiões de Bafatá e Gabú, seguidas das regiões de Oio, Biombo (no norte) e nas ilhas de Bolama/Bijagós.

Em dezembro do ano passado, segundo o Secretariado Nacional de Luta Contra a Sida (SNLS), com o confinamento, por causa da prevenção à Covid-19, houve um aumento do número de infecções com VIH.

Em Julho, o SNLS falava em cerca de seis infecções por dia, mas João Gomes Correia, presidente da "Sabunhima", uma das organizações de doentes com VIH/SIDA, teme que o número seja maior.

Por: Braima Sigá

 

 

Escreva à RSM

email 

Entre em contato com a Rádio Sol Mansi.

Continuar

Ajuda RSM

helpContribua para a manutenção dos nossos equipamentos e a formação da nossa equipa.

Ajuda

Questo sito fa uso di cookie per migliorare l’esperienza di navigazione degli utenti e per raccogliere informazioni sull’utilizzo del sito stesso. Leggi di più